segunda-feira, 17 de março de 2014

Poesia Haiku: Um caminho pessoal de despojamento e de procura do essencial (3)






1

pôr do Sol no mar!
Só o olhar fica para cá
do horizonte.

2

crepúsculo de Inverno -
escamas de sombra
no rio.

3

nortada -
os farrapos de espuma
fogem para o sul.

4

um caranguejo
no olho do golfinho -
chuva de Inverno.

5

graves, na duna,
eu e uma lagartixa
olhamos o mar.

6

ouves o mar?
e o vento? e as gaivotas?
- É o silêncio.

7

vagueio pela praia -
as ondas perdem e ganham
reflexos de Sol.

8

maré baixa -
deste lado da Terra
o mar repousa.

9

luar no Tejo -
sem vento
a água treme.

10

luar no mar -
um imenso dorso respira
até ao horizonte.

11

entardece -
um último olhar no cais
e sigo as gaivotas.

12

rasa à água
a gaivota voa presa
à sua sombra.



David Rodrigues



in:

DE FRENTE PARA O MAR, pgs. 40 a 51, Colectânea integrada por dez poetas portugueses e organizada por David Rodrigues que, no prefácio, nos diz:



Num livro de poesia haiku escrito por poetas portugueses é inevitável evocar a memória de Wenceslau de Moraes e o seu esforço pioneiro de se acercar e entender a alma e a poesia japonesa. Ele - escritor, marinheiro, viajante - é uma figura incontornável do encontro de culturas que se consumou entre portugueses e japoneses desde 1543. À sua memória é dedicado este livro.



moraes


NOTA: No citado livro os poemas não vêm numerados. Cada poema ocupa uma página.

1 comentário:

  1. Minha amiga obrigada por esta tão bela partilha.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar