sábado, 4 de janeiro de 2014

Quando à noite desfolho e trinco as rosas és tu a Primavera que eu esperava

Sabe, se quer que lhe diga, do eu que me lembro bem, e para mim o que é importante, é os sítios onde eu escrevi. Há um poema que diz «Quando à noite desfolho e trinco as rosas». Isto é absolutamente verdade: eu ia para o jardim da minha avó colher rosas, a minha avó já tinha morrido e era um jardim semi-abandonado, colhia camélias no Inverno e rosas na Primavera. Trazia imensas rosas para casa, havia sempre uma grande jarra cheia delas em frente da janela, no meu quarto. E depois eu desfolhava e comia as rosas, mastigava-as... No fundo era a tentativa de captar alguma coisa a que só posso chamar a alegria do universo, qualquer coisa que floresce. * Sophia






AS ROSAS

Quando à noite desfolho e trinco as rosas
É como se prendesse entre os meus dentes
Todo o luar das noites transparentes
Todo o fulgor das tardes luminosas

O vento bailador das Primaveras
A doçura amarga dos poentes,
E a exaltação de todas as esperas

Quando à noite desfolho e trinco as rosas

És tu a Primavera que eu esperava,
A vida multiplicada e brilhante,
Em que é pleno e perfeito cada instante

Quando à noite desfolho e trinco as rosas
És tu a Primavera que eu esperava


Sophia de Melo Breyner Andresen
          1919-2004

****

Precioso contributo da M.

Sophia de Mello Breyner era, de facto, uma mulher inspirada e inspiradora! E tinha um cenário inspirador também, penso que hoje esse jardim é o Jardim Botânico do Porto.

A Casa dos Andresen 

"...A verdura das árvores ardia,
O vermelho das rosas transbordava
Alucinado cada ser subia
Num tumulto em que tudo germinava...

Jardim Perdido
Sophia de Mello Breyner Andresen"

*****
Leiam, meus amigos, tudo sobre o Jardim Botânico do Porto, aqui

Muito Obrigada, M.

****

*Sophia - Citação aqui
Ver Análise Obra Poética da autora
Imagem:internet

26 comentários:

  1. OI OLINDA!
    UM TEXTO BELÍSSIMO E, SE ENCAIXANDO PERFEITAMENTE COM TUAS LEMBRANÇAS.
    GRATA POR TUA IDA NO "SÓ PRA DIZER", DEIXANDO VOTOS DE BOM ANO, OS QUAIS, TAMBÉM TE DESEJO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  2. Oi Zilani

    Aqui é a própria Sophia a falar. Acho que é delicioso quando os autores falam dos seus momentos criativos e das suas motivações.

    Obrigada pela presença.

    Bjs

    Olinda

    ResponderEliminar
  3. ❀ ✿ ❀
    C'est très beau ! MERCI Olinda !
    GROS BISOUS d'Asie jusqu'à toi ☆彡
    ❀ ✿ ❀

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Nancy. Tudo de bom aí na Tailândia, com esse Sol maravilhoso.

      Beijinhos

      Olinda

      Eliminar
  4. Belo poema...Espectacular....
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é espectacular, realmente, Chana.

      Abraço

      Olinda

      Eliminar
  5. É Sophia....e está tudo dito....
    Resolvi dar uma pausa ao Palavras Pensadas, como pode
    confirmar pelo bonito poema que coloquei.
    Até.....
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Palavras Pensadas e, além disso, Escritas, o que nos permite lê-las e apreciá-las.

      Obrigada, Andradarte.

      Abraço

      Olinda

      Eliminar
  6. Não tenho palavras para comentar a beleza deste poema nem a beleza das rosas.
    A assinatura de Sophia de Melo Breyner Andresen, clarifica este poema onde se unem aquelas cores das rosas que nos encantam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 'Rosas, Senhora? Rosas em Janeiro é caso muito estranho'... :)
      É verdade, é o Milagre das Rosas, Rosas belas e maravilhosas, pela pena de Sophia de Melo Breyner Andresen.

      Obrigada, Luís.

      Abraço

      Olinda

      Eliminar
  7. Sophia de Mello Breyner era, de facto, uma mulher inspirada e inspiradora! E tinha um cenário inspirador também, penso que hoje esse jardim é o Jardim Botânico do Porto.
    Beijinhos e boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que preciosa informação nos trouxe, M.
      Vou colocá-la no post.

      :)

      Beijinhos
      Olinda

      Eliminar
  8. Querida Olinda
    Escolher Sofia é o mesmo que "acertar na mouche".
    Eu, pelo menos, adoro a sua poesia, e este poema é um dos mias belos.

    Obrigada pela tua presença e votos para o ano que estamos vivendo.
    Que ele seja, para ti e todos os teus, o melhor de sempre! :)
    As maiores felicidades, minha querida.
    Beijinhos
    Mariazita
    (Link para o meu blog principal)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Mariazita

      É uma grande honra para mim trazer ao Xaile de Seda as palavras e pensamentos de Sophia de Mello Breyner Andresen. E Lê-la em conjunto convosco é um prazer.

      Desejo-te as maiores felicidades, neste Ano de 2014.

      Beijinhos

      Olinda

      Eliminar
  9. Palavras com cheiro de primavera.

    Lindas as rosas.

    beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Primavera ainda vem longe no tempo mas, depende de nós vê-la com os olhos do coração. Embora não desgoste do Inverno, à parte os vendavais, as chuvadas, as inundações. Daqui vai um pensamento de solidariedade para as pessoas que têm sofrido o rigor das intempéries, nos últimos tempos.

      Beijinhos

      Olinda

      Eliminar
  10. Sophia, aqui, neste dia tão cinzento...é pura magia e traz o sol, a Primavera e a delicadeza da minha amiga Olinda!

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que palavras amorosas, querida Ana!

      Muito obrigada.

      Beijinhos

      Olinda

      Eliminar
  11. Versos lindos, acompanhados de considerações da própria autora. Percebemos neles a inspiração que as lembranças trouxeram a ela. Adorável de se ler. Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Versos que fazem parte da vida da autora, das suas lembranças. Isso tornam-nos ainda mais especiais, não é?

      Beijos

      Olinda

      Eliminar
  12. Ora essa, Olinda, de nada! Eu moro em Gaia, mesmo pertinho, por isso sabia ;) E a casa é imponente, impressionante mesmo!
    Beijinhos,
    Madalena

    ResponderEliminar