segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Centelha





Andarei sempre a par de ti, guia e esteio dos meus passos. No dealbar deste novo dia elejo-te o sol que me alumia: luz, centelha em minha mente. Onda maior que me levará além. E lá, onde a terra ardente e sedenta envia aos céus plangentes gemidos, 
irei eu beber do teu manancial, 
torrente 
que atravessou o tempo. 
E, na sua bonança, me matará a sede!





====



Excelente feat de 
Djodje e Cuca Roseta



Vamos fugir p'ra longe daqui

====

Foto minha

14 comentários:

  1. Maravilhosa foto e palavras em poesia! beijos, chica

    ResponderEliminar
  2. A terra ardente e sedenta. Um trajecto de água conquistando planícies, fontes e lábios, fazendo-se torrente, para que a sede seja sempre saciada na memória da água.
    Belíssimo o texto e a fotografia, minha Amiga Olinda.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde de paz interior, querida amiga Olinda!
    Que peérola lindíssima você nos oferta, amiga!
    Rica poesia reflexiva como gosto de ler e são muito poucas as que conseguem esse estilo.
    Que o Manancial lhe mate toda sede em todos os níveis do seu viver, amiga!
    Tenha uma semana abençoada e feliz!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
  4. Um texto muito bonito, E bem ilustrado.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar

  5. Grandiosa “rendição” ao apelo das torrentes
    E à harmonia do seu canto. E das fontes...

    um texto poético belíssimo, amiga Olinda
    um privilegio ler e comentar
    abraço.

    ResponderEliminar
  6. É sempre bom termos um guia que nos ajude a seguir em frente e um " esteio " que nos permita um encosto quando o caminho se torna ingreme, tortuoso. Precisamos de afectos como de pão para a boca, precisamos de sorrisos, de afagos e de elogios também. ; viver sem estas " centelhas " principalmente daqueles que " vivem a par de nós " é como ter sede e não vermos na nossa frente, pelo menos um fio de água que nos mate a sede. Parabéns, querida Amiga ; pelas belas palavras poéticas que escreveste para os teus amigos. Poesia faz falta para mitigar a fome e a sede da alma e também para colorir o dia quando o sol se esconde. Beijinhos e muita saúde para todos aí em casa
    Emilia

    ResponderEliminar
  7. Maravilhoso poema e música!!

    Um beijo,

    www.purestyle.com.br

    ResponderEliminar
  8. A música, a voz e a palavra fazem deste espaço uma centelha que convida a navegar. Há duetos arrebatadores e paisagens poderosas.
    Fogo, Olinda! Parabéns.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  9. É o Pico de Djarfogo, não é?
    Foto talvez tirada do avião. Belíssima!
    Também gostei do seu canto telúrico, sentires
    profundos com genes de solos de fogo, sequiosos...
    Gostei muito, minha Amiga.
    Beijinhos
    ~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vim à procura de resposta...
      Abraço
      ~~~

      Eliminar
    2. Querida amiga

      Não é o Pico de Djarfogo (as coisas que a Majo sabe!), mas acertou, a foto foi tirada do avião.

      Havemos um dia de, frente a um cafezinho, falar das ilhas de bruma, das ilhas afortunadas, da Macaronésia. Penso que será uma conversa bem interessante.

      Adorei o seu interesse.

      Beijinhos

      Olinda

      Eliminar
  10. Uma bela imagem para palavras à altura... A força das palavras, o sentimento que delas emana... lindo

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. nice post :) I follow you on gfc #218 , follow back?

    https://styleoflifet.blogspot.com/

    ResponderEliminar