domingo, 25 de junho de 2017

Para ti





Foi para ti 
que desfolhei a chuva
para ti soltei o perfume da terra
toquei no nada
e para ti foi tudo

Para ti criei todas as palavras
e todas me faltaram
no minuto em que talhei
o sabor do sempre

Para ti dei voz
às minhas mãos
abri os gomos do tempo
assaltei o mundo
e pensei que tudo estava em nós
nesse doce engano
de tudo sermos donos
sem nada termos
simplesmente porque era de noite
e não dormíamos
eu descia em teu peito
para me procurar
e antes que a escuridão
nos cingisse a cintura
ficávamos nos olhos
vivendo de um só
amando de uma só vida


In: Raiz de Carvalho e outros poemas

Mia Couto

====
Poema: Citador
Imagem: Pixabay

6 comentários:

  1. Adoro Mia Couto. Também tenho este livro.
    Um abraço e bom Domingo.

    ResponderEliminar
  2. Cada palavra deste lindo poema nos acolhe como um abraço
    Adoro os poemas de Mia Couto
    Beijos minha querida e um excelente domingo

    ResponderEliminar
  3. Que linda é esta forma de amar. Só um poeta consegue desfolhar a chuva e dar voz às mãos. O, quem sabe, um poeta apaixonado.
    Grata pela partilha.
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderEliminar
  4. É profundamente belíssimo...
    Também tinha este poema para publicar...
    Não faltarão outros.
    Beijinhos, estimada Olinda.
    ~~~~

    ResponderEliminar
  5. Para Si!
    https://www.youtube.com/watch?v=m1QXKYxejtE

    ResponderEliminar