sábado, 2 de março de 2013

Quando anoiteceu

Sol da Esteva






Fogem, entre os dedos, do relógio lento,
Os minutos duros, duma espera vã.
Fogem, flutuando, em meu pensamento
As esperanças caras, de hoje e de amanhã.

Apenas as mágoas tomam forma certa
Por entre a tristeza que minha Alma rói.
Eu não posso ter, assim, uma Alma aberta,
Porque jamais o destino se condói.

Mais remotas, as esperanças de te ter,
Por cada salto daquele contador;
E mais aceso se torna o meu querer.

E o fim do dia, que tanto prometeu,
Tornou-se a amarga tortura, ao meu Amor.
... Regressei sozinho, quando anoiteceu.



(Blog)


*****

Sol da Esteva! Um nome, um titulo, uma expressão que me atrai. Pode chover, ventar ou trovejar, há sempre este Sol que canta o Amor aliado à sua esteva, seja ele amor realizado, esperançoso ou infeliz. E fica-nos a certeza de que realmente o amor, este belo sentimento, existe. Poeta lírico, expressa-se em sonetos, emprestando um belo cunho rítmico às suas estrofes, de rimas cruzadas.

Quando chegamos ao blog, a porta é-nos franqueada ao som de excelente música. Demoro sempre uns bons minutos apreciando-a e relembrando, talvez, tempos idos ou tempos que hão-de vir, pelas suas características de música intemporal. 

Para o Sol da Esteva e para os meus amigos leitores, esta bela canção de Ray Charles, 

I Can't Stop Loving You 





Um bom fim de semana. :)

Abraço.

Olinda

Imagem: daqui-Agradecimentos

17 comentários:

  1. Olá amiga Olinda!
    Este é um belo soneto de um amor não correspondido. Ah! O amor...esse fogo que arde...essa ferida que dói... (lembrando Camões).
    Bonita canção de ontem,de hoje e de sempre! Beijos.
    M. Emília

    ResponderEliminar
  2. O Sol, da Esteva merece e estou de acordo
    com este post.
    Desejo que esteja bem.
    Bom fim de semana.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  3. Muitos regressam sozinhos....quando anoitece.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Querida amiga

    Há visitas aos lugares amigos,
    para recolher palavras.
    Há visitas a estes mesmos lugares
    Para semear palavras.
    A visita de hoje além da leitura
    das preciosas palavras que aqui encontro,
    é também para agradecer
    a alegria de passar pela sua vida
    e encontrar o perfume da amizade
    de forma tão intensa.

    Que a sede da alegria
    Nunca cesse em ti.

    ResponderEliminar
  5. Lindo ete poema, Olinda! Merece estar aqui bordado num lindo xaile de seda. Na realidade, quando estamos à espera de algo que nos preencha o vazio da alma, parece que os segundo são horas e as horas meses ou anos; nunca mais chega o que desejamos. As mágoas, essas entram a cada minuto...entram e nem sequer batem à porta; preciamos de muita coragem para as mandarmos para longe, mas elas teimam em ficar. O amor, esse, nem sempre vem por mais que o chamemos, por mais alto que por ele gritemos. Obrigada, Olinda, por este belo momento e cá estarei para continuar a participar desta festa de xailes. Beijinhos e parabéns também pela música escolhida
    Emília

    ResponderEliminar
  6. As 'estevas' trazem-me à memória uns verões passados numa pequena praia alentejana; o Ray, esse, leva-me a recordação para tempos mais distantes...
    abraço.

    ResponderEliminar
  7. Minha querida amiga Olinda
    Este soneto é belíssimo, e a mim, especialmente hoje, dia 6, cala-me fundo!
    Não conheço o autor; a seguir vou lá fazer uma visitinha.
    O vídeo foi uma escolha óptima. Esta música é eterna, e Ray Charles... imortal.

    Agradecendo o teu carinho sempre presente, desejo uma semana feliz.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Olá amiga você que está sempre presente em meu cantinho, eu venho lhe agradecer de todo o coração, o carinho de sua presença. Que Deus a abençoe e guarde, hoje e sempre. Assim que poder voltarei. Tenha uma linda semana coberta de muita paz e amor! Com carinho Maria Alice. Obrigadoooooooooooo!!!!!

    ResponderEliminar
  9. Olá, Olinda querida!
    Já tinha me deliciado com esse belo soneto do SOL,no seu próprio espaço.
    Você o descreveu, e à sua poesia, com forma fidedigna, perfeita:
    SOL tem um delicado perfil. E ainda de "quebra",nos oferta Ray Charles.
    Obrigada, meu carinhoso abraço.

    ResponderEliminar
  10. Um tempo que nos foge mas...que fica neste sol de esteva e nesta canção da minha juventude...Há sempre portas para "apanhar" o tempo.
    Mil beijos
    Graça

    ResponderEliminar
  11. Mulher .
    Mulher , mãe uma fera na defesa dos seus
    filhos.
    Mulher, avó segunda mãe jamais esquecida
    por um amor incondicional ,
    netos segunda gestação dos próprios filhos.
    Mulher ,bisavó nessa fase entendemos,
    nossa geração foi londe nosso amor foi infinito.
    Eu sou essa mulher .
    Sim..tia , irmã , mãe , avó , bisavó por isso venho te abraçar
    pelo Dia da Mulher.
    Por me sentir especial .
    Para você acreditar que tudo vale a pena
    quando abrimos a janela nosso coração ,
    e deixamos o amor entrar.
    A vida é eternizada por nós mesmo,
    não importa os obistaculos,
    que a vida coloca já que é impossível viver sem eles.
    Quero apenas ser lembrada com carinho.
    Mãe blogueira.
    Avó Blogueira.
    Por Fim bisavó blogueira.
    Sou essa mulher que veio
    para deixar um carinho no Dia das mulheres.
    Ser mulher é algo Divino.
    Desde ,que nos sentimos um ser especial
    diante de Deus.
    Parabéns não só a mulher,
    mais a eterna companheira .
    Beijos no coração carinhos na alma.
    Evanir.
    Mimo se gostar na postagem.

    ResponderEliminar
  12. E um soneto formidável!

    Obrigada pelas tuas palavras, amiga. Na realidade ando exausta, que os tempos vão difíceis...

    Beijinho e boa noite

    ResponderEliminar
  13. Nostálgico e belo soneto. Não conheço o autor irei fazer uma visitinha. Minha amiga hoje venho especialmente para agradecer o seu carinho ao ter comemorado comigo o aniversário da minha filha, deixando a sua preciosa mensagem.
    “A amizade duplica as alegrias e divide as tristezas. “(Francis Bacon)
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  14. Amiga passei de novo por aqui e deixo-lhe um beijinho.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  15. Sol da Esteva é já um nome consolidado na tessitura de belos e irrepreensíveis poemas, qualquer que seja a estação, lê-lo é garantia de emoção!
    "Quando Anoiteceu", é mais uma bela obra da sua tão vasta criação, sempre vou lê-lo, embora nem sempre deixe meu registro. Como sabes, Olinda, não sou adepta da quantidade, se meu tempo (esse que anda cada vez mais exíguo, e que foi perfeitamente ilustrado na imagem do poema), não é o suficiente para eu degustar, sentir, me emocionar e dizer com a devida atenção o que a escrita causou em mim, da maneira como o poeta merece, prefiro sair em silencioso respeito... E é o que tenho feito na maioria das vezes.

    Mas deixo beijos e aplausos para vocês, pela sua generosidade; e pela inspiração do Sol da Esteva, belo poema!

    ResponderEliminar
  16. Querida Olinda

    Sinto-me, imerecidamente, louvado.
    Agradeço a mesma comunhão que todos me votaram.
    Bem hajam.


    Beijos



    SOL

    ResponderEliminar