quinta-feira, 21 de julho de 2011

Passeio Público

Há uma Lisboa Desaparecida, há um blog do mesmo nome, e a autora é Marina Tavares Dias, que fala de sítios que já não existem como é o caso do Passeio Público. E eu, por minha vez, falo nisto porque uma associação de empresários que tem por nome Associação Passeio Público nasceu há pouco tempo com o intuito de dinamizar a zona da Avenida da Liberdade, o que acho muito bom porque Lisboa aos fins-de-semana parece uma cidade desabitada. Eis uma pequena notícia sobre o assunto: 

Artesanato tradicional, design de autor, artes plásticas, plantas, alfarrabistas e antiguidades vão passar a invadir a Avenida da Liberdade, nos segundos sábados e domingos de cada mês. Entre as 10h e as 20h, a Feira Avenida da Liberdade recebe cerca de 150 participantes, entre livreiros e alfarrabistas, antiquários e artesãos. Vai também marcar presença uma nova geração que conseguiu revitalizar a tradição, apresentando propostas de artesanato com apontamentos de moda e design. Esta feira é a primeira actividade da Associação Passeio Público, recentemente criada com o objectivo claro de dinamizar culturalmente a nobre avenida.


Image Hosted by ImageShack.us


O Passeio Público foi o primeiro parque público lisboeta, surgindo a par da nova baixa Pombalina. Era um espaço verdejante, com muitas fontes e lagos, onde os lisboetas alegremente faziam a sua parada de vaidades.
Igualmente ai se faziam festas, concertos e bailes. Célebre era a sua fonte situada no Passeio do Verão.
No final do século XIX é arrasado, para dar lugar à Avenida da Liberdade, que alongaria a cidade para norte e que seria encimada pelo Parque da Liberdade(actual Parque Eduardo VII).
Algumas das suas estátuas estão preservadas no Palácio da Mitra, tal como esta.


Notícia em itálico:
Jornal Metro- 8/7/2011
Imagem e legenda:
http://diasquevoam.blogspot.com

44 comentários:

  1. Amiga
    um beijinho

    Dia do AMIGO foi ontem mas para mim será todos os dias...

    a vida é mesmo composta de tudo do bom e do mau e tem um pouquinho de tudo para todos


    Com um beijo cheio de carinho


    Vida...
    Vida vivida...
    Vida sofrida...
    Vida cantada...
    Porque a vida...
    É composta de tudo...
    De choro...
    De riso...
    De carinho...
    E de alegrias...
    E muitas vezes...
    Mesmo sofrida...
    E pouco vivida...
    A vida...
    Tem sempre valor...
    Porque prevalece sempre...
    A vida...
    Vivida com alegria!...

    LILI LARANJO

    ResponderEliminar
  2. Olinda,
    Não vim ontem, porém venho para deixar um abraço fraterno e afetuoso deste leitor que te admira.
    Em se tratando de revitalizar zonas, ou sítios, sou um tanto conservador, porém não sou contra em se melhorar um local carente de uma melhor infraestrutura.
    Aqui em São Paulo, por muitas anos, havia um edifício chamada São Vito e Edifício Mercúrio, na região do Mercado Municipal que de tão precários e decadentes, acabavam por enfeiar e dar um aspecto sinistro aquela região do centro. Foram demolidos. Noutra parte há a chamada "crakolândia", redutos de venda de drogas, e que agora a Prefeitura vem executando obras para melhorar, dinamizar e assim tornar mais saudável para os paulistanos.
    Torço para que de certo.
    Um abraço fraterno amiga.
    Um beijo de luz e apreço.

    ResponderEliminar
  3. Excelente ideia a de dinamizar a Av. da Liberdade.
    Lembrei-me agora que, numa das últimas vezes que estive em Lisboa, percorri a pé, com o marido e os filhos, a Av. da Liberdade, vinda do Chiado, e fui até à Fontes Pereira de Melo. Que bem que me soube esta caminhada!
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  4. Viva, Lili

    Adorei o teu poema, um canto à Vida com todas as suas nuances, com alegrias e tristezas, porque é mesmo assim.

    Obrigada pelo teu carinho e por te lembrares do dia do Amigo e, como bem dizes, é todos os dias. :)

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  5. Meu amigo Antônio

    Obrigada pela sua vista e retribuo o abraço na mesma medida.
    Na verdade,e como bem o diz, há sítios,espaços,construções que depois de mexidos perdem identidade e outros que pela sua falta de estética e má conservação mais vale serem demolidos.
    No caso da Av.da Liberdade, o facto de se aproveitar o espaço, mensalmente,para uma espécie de feira talvez não seja má ideia porque em princípio chamará mais gente à cidade.As pessoas vêm trabalhar à cidade de Lisboa e aos fins-de-semana há muito pouco movimento.Há muitos estabelecimentos fechados e, em vez de se promover o turismo,os visitantes andam por ai perdidos...

    Esperemos que dê certo... :)

    Grande abraço.

    Olinda

    ResponderEliminar
  6. Querida Isabel

    Passear por Lisboa é sempre mágico.E então pelos sítios por onde andaram e que eu conheço tão bem...De vez em quando vou ao Chiado repor energias,respirar o ar.Desde o incêndio dos Grandes Armazéns ficou-lhe a faltar qualquer coisa.Mas, com o tempo vão surgindo outras valências.Por exemplo, uma carrinha que ali está,na Rua do Carmo, pelo menos da última vez que passei por lá, a emitir FADO, ininterruptamente.

    Beijo

    Olinda

    ResponderEliminar
  7. Olinda, acho uma magnífica ideia, sobretudo em tempos de "crise"! Deviam fazer o mesmo no Porto ou até em Gaia!
    Beijinhos,
    Madalena

    ResponderEliminar
  8. Olá, Madalena

    É verdade, em tempo de crise temos de ser inventivos, diversificar em termos de ideias e também de espaço.No Porto e em Gaia também era magnífico!

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  9. Boa noite Olinda!
    Achei a ideia ótima, com certeza, será um sucesso.
    Obrigada pelos seus comentários nos meus Blogues, sempre tão bem redigidos e pertinentes.
    Te admiro.
    Beijo e bom final de semana.
    Com carinho,
    Mara

    ResponderEliminar
  10. http://www.youtube.com/watch?v=xaQDiAD7184
    Estaremos a voltar à inocência de um tempo, apesar de tudo, mais feliz?!
    Minha Amiga Olinda; não me considero saudosista, mas agrada-me imenso viajar, conforta-me encontrar nessas viágens, sinais vivos de épocas que nós os que vivemos nas cidades, considerávamos já mortas e substituídas por uma existência escorrente, com pouco de alma, porque de nenhuma utilidade.
    Nas cidades, foi-se perdendo a pouco-e-pouco o prazer do convívio, a par das tradições, ao mesmo rítmo da chegada das electrónicas, dos aparelhos de comunicação sufisticados, sempre cada vez mais.
    Estas iniciativas que agora tentam recuperar em certa medida esse espírito perdido e essas tradições, enchem-me de esperança. Esperança de que se esteja a verificar um regresso à inocência, à genuínidade, à essência daquilo que realmente somos e daquilo que desejamos que seja.

    ResponderEliminar
  11. A humanidade, às vezes, destrói coisas irrecuperávies e importantes, não só nos patrimônios e sítios, mas sobre os valores espirituais humanos importantes, que vemos morrer a cada dia. E o mundo ficando mais feio! Penso que a história e a espiritualidade deveria ser mais preservada e em alguns casos, resgatada da quase extinção querida. Uma pena!!
    Beijos,
    Carla

    ResponderEliminar
  12. Uma belíssima iniciativa. Obrigada por dar a conhecer.

    Bjs

    ResponderEliminar
  13. A reter esta bela ideia.

    O blogue sempre a cumprir de forma admirável uma função de cidadania.

    bj

    ResponderEliminar
  14. Lamentável que coisas assim aconteçam.

    Deixo um beijo enorme e desejo a vc um ótimo fds!

    Espero por vc no Alma1

    ResponderEliminar
  15. A esperança e a alegria de viver esta
    nos atos de amor que praticamos.
    Quero viajar todos os dias semeando
    a paz no coração dos amigos (as)ser
    apreciada por minha presença.
    Quero jogar flores por onde
    eu passar.
    E em silêncio deixar a palavra
    mais bonita.
    (Creia em Deus porque viver é fantástico.)
    Um beijo na alma e no coração com carinho,,Evanir,

    ResponderEliminar
  16. Encantam-me estas fotografias antigas!

    Obrigado.

    Bjsss

    ResponderEliminar
  17. É o que o Porto tambem está a precisar: revitalização! As cidades aos fins de semana, principalmente domingos, parecem desertas. É uma ideia genial que vai resultar e dinamizar a vida das cidades e das pessoas.Parabens Olinda.
    Beijo
    Graça

    ResponderEliminar
  18. Minha querida

    Como sempre idéias boas e que deveriam ser postas em prática e realmente Lisboa ao fim de semana é uma cidade fantasma e nos dias de trabalho as pessoas não têm tempo de a VER, seria uma maneira de poder ter um sítio para passear.

    Deixo um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  19. Olinda,

    Importantíssimo que o espaço urbano tenha locais agradáveis de lazer e de socialização, ainda mais na atual circunstância, em que as relações pessoais são pouco e pouco substituídas pelas relações do ciberespaço - fascinante também, mas que certamente não deve dar conta, por í só, de nossas necessidades de contatos.

    Bjs!

    ResponderEliminar
  20. A Avenida precisa mesmo de uma grande volta. Aos fins de semana e à noite.
    Agora me lembro que a Volta a Portugal em bicicleta vai terminar lá. Até que enfim... Não são os Campos Elíseos, mas é uma Avenida que não envergonha o país nem a cidade.
    Olinda, tem uma boa semana.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  21. Olinda
    LINDAS fotos
    Deixo para ti com um beijinho especial

    ResponderEliminar
  22. Querida Mara

    Encontrei o seu blogue 'Lusofonia Fonética' quando andava em busca de poetas lusófonos.Fiquei logo fã... Depois indicou-me o 'Emoções' de que gostei também pelos temas e poemas que publica. Os seus blogues são uma inspiração para mim... :)

    Obrigada pelas suas carinhosas palavras.

    Beijo

    Olinda

    ResponderEliminar
  23. Caro Bartolomeu

    The return to innocence...

    Tema lindo a documentar na íntegra o teu comentário.É bom preservar a nossa Memória colectiva e isso consegue-se através da História de um povo e dos vestígios como, por exemplo, monumentos que vão ficando para os vindouros.E isso preenche-nos porque nos faz sentir que pertencemos a um lugar. Poderemos visitar outras paragens e depois voltar...ao nosso aconchego!

    Abraço

    Olinda

    ResponderEliminar
  24. Olá, Carla Fernanda

    Pois é verdade, minha amiga, vai se perdendo, a um ritmo assustador, a noção da responsabilidade que temos em relação ao legado que recebemos dos nossos maiores, tanto material como espiritual.Seria um 'testemunho' a passar às gerações actuais que o passariam às futuras.Esperemos que o Homem, com a sua inteligência, consiga investir nestes aspectos tão importantes da nossa vida...

    Beijo

    Olinda

    ResponderEliminar
  25. Querida Fa

    Obrigada pelas suas palavras e pela sua visita.

    Beijo

    Olinda

    ResponderEliminar
  26. Bela iniciativa...Espectacular....
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  27. Olá, Ana

    Sim, é uma bela ideia, e tomara que aparecessem outras de modo a que a Capital se torne naquilo que era outrora, uma cidade cheia de vida.

    Beijo

    Olinda

    ResponderEliminar
  28. Olá, Vinicius

    Obrigada pela visita.Retribuirei em breve.

    Abraço

    Olinda

    ResponderEliminar
  29. Olá, Evanir

    Também lhe desejo muita paz e alegria.

    Beijo

    Olinda

    ResponderEliminar
  30. Olá Vieira Calado

    As fotos antigas dos monumentos e sítios trazem-nos sempre uma grande saudade dos tempos idos, tempos esses que apenas conhecemos através da História.

    Abraço

    Olinda

    ResponderEliminar
  31. Querida Graça

    O Porto, Cidade Invicta, de grandes tradições com recantos maravilhosos, e também um ícone em termos económicos.É sempre bom ali retornar...

    Beijo

    Olinda

    ResponderEliminar
  32. Querida Sonhadora

    É este o mal dos 'dormitórios' para onde as pessoas regressam depois do dia ou semana de trabalho.Ouvi falar em tempos na intenção da edilidade de promover o retorno ou a fixação ali de jovens criando, para isso, condições em termos habitacionais. Seria, realmente, um grande passo para a 'humanização' da cidade.

    Beijo

    Olinda

    ResponderEliminar
  33. Bem visto, Daniele, há uma necessidade urgente de criar espaços de convívio para que as pessoas, por sua vez,relembrem como é fundamental a criação de laços que perdurem...
    Em Lisboa há um antigo mercado, o Mercado da Ribeira, onde tem lugar um Baile, periodicamente, não sei se todos os fins de semana ou quinzenalmente, e já ouvi dizer que é uma boa iniciativa e que tem dado resultado.
    Venham mais iniciativas como regatas, com o Tejo ali tão perto, ou outras, para que as pessoas cumpram o salutar desígnio gregário, próprio da nossa espécie.

    Beijo

    Olinda

    ResponderEliminar
  34. Olá, N.Barcelli

    Les Champs Elysées, la plus belle!

    Tem razão, a Av. da Liberdade é uma avenida que não nos envergonha,não.Ela tem envergadura, uma boa ala de árvores mais ou menos frondosas e sendo bem aproveitada, com a manutenção dos espaços verdes,uma boa oferta de serviços de restaurante,com iniciativas durante todo ano que incitem as pessoas a deslocarem-se até lá,seria um bom espaço para umas horas de lazer.

    A cidade ganharia, na certa.

    Abraço.

    Olinda

    ResponderEliminar
  35. Olá, Chana

    Que bom vê-lo por aqui!Terei de ir ao seu espaço para me deleitar com as suas lindíssimas fotos.

    Obrigada pela visita.

    Abraço

    Olinda

    ResponderEliminar
  36. Olinda e dia das avós tbm é todos os dias ,,,por isso eu sou avó a tempo inteiro

    beijos

    Dia das avós é dia de Amor...




    Hoje é dias dos avós.
    Mas... amanhã...
    Depois de amanhã...
    E sempre...
    É dia dos avós...
    ... Do mimo...
    ... Da ternura...
    ... Do carinho...
    ... Do estar...
    ... E de poder transmitir...
    ... A força...
    ... E a confiança...

    Eu sou avó...
    Todos os dias...
    E é tão bom...
    Poder sentir...
    Essa confiança!...

    LILI LARANJO

    ResponderEliminar
  37. já tinha ouvido falar... mas agora fiquei mais elucidado...
    devia ser muito bonito, romantico...

    abrazo serrano

    ResponderEliminar
  38. Tens razão, Lili, dia dos avós é todos os dias. Quem já é recebe miminhos e quem ainda não, como eu, dá-os com amor. :)

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  39. Olá, Mixtu

    Seja bem-vindo!
    Sim, o Passeio Público fez época e, a esta distância, com aquelas roupagens e com aqueles 'vagares' dá uma ideia linda de como é aproveitar bem as horas de ócio...

    Abrazo.

    Olinda

    ResponderEliminar
  40. E o Artesanato bem precisa.....Mas aos fim de
    semana, já está há muito em funcionamento, nas
    Arcadas junto ao Cais das Colunas, uma mostra venda de Artesanato....
    è diferente certamente, se for na Avenida....
    Beijo

    ResponderEliminar
  41. Olá, Andradarte

    A área do Cais das Colunas também é muito bonita mesmo à beira-Tejo, propiciadora de actividades como essa e de muitas outras.Tudo o que seja para animar a cidade é excelente, não é?

    Abraço

    Olinda

    ResponderEliminar
  42. Olá, Olinda, fico um pouco ausente mas,
    quando retorno aqui, faço como caranguejo,
    ando para trás, leio o último post e...recuo.

    Aqui, em Fortaleza, temos um lindo Passeio Público. Há tempos, em que cai no esquecimento,
    depois é restaurado e a população volta a frequentá-lo, como agora, nos últimos meses.
    Conheço a Av. da Liberdade, mas não sabia, que para dar lugar à avenida, arrasaram o Passeio Público. Parece que em toda grande metrópole, ocorre esse tipo de destruição.
    O importante, agora, é a "ressurreição" do Passeio Público, já com uma bela programação para os lisboetas.
    BRAVO! notícias assim, são sempre bem vindas...

    Beijos, amiga

    ResponderEliminar
  43. Olá, Lúcia

    Fico muito feliz com as suas visitas e não interessa se vêm um pouco atrasadas. Isso de andar às arrecuas também tem o seu encanto...
    :)

    Tem razão, há, muitas vezes, este sentimento devastador por quem ocupa a cadeira do poder dando a ideia de que só se quer mostrar trabalho feito.

    O povo que é sábio porque é quem utiliza os espaços públicos,nunca é ouvido.

    Beijos.

    Olinda

    ResponderEliminar