sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

Por um triz




Foi por um triz que a Carolina Deslandes não ganhou o Festival da Canção de 2021. Segundo a minha óptica, claro. 

Palavras com sentido. 
Música linda. 
Voz suave.

Deixo-vos com ela, desejando um bom fim-de-semana.

Abraços.

====

segunda-feira, 10 de janeiro de 2022

Vida Adiada



Uma vida adiada.

Uma estrada batida.

Um pedaço de nada.

Uma sorte bandida.

Uma sorte arrastada.

Uma lágrima caída.

Uma alma algemada.

Uma prece perdida.

Uma porta fechada.

Uma luz escondida.

Uma sombra vergada.

Uma jura esquecida.

Uma crença frustrada.

Uma essência perdida.

Uma pergunta entalada.

-Qual será a saída?

Fernanda Maria

-FÊ-


Só escrevo o que me dita o coração, diz-nos a Fê
no seu livro recentemente editado e intitulado "Só te peço 5 minutos". E é com o coração que vemos desenvolver-se este poema e todos os outros em que, nas suas 113 páginas, nos dá conta dos vários momentos que decidiu partilhar connosco.

Neste poema, perante as vicissitudes da vida, a autora destaca esta pergunta: "Qual será a saída?".
A resposta estará dentro de cada um de nós, de conformidade com as próprias vivências.

Vou adiantando que, a meu ver, talvez o Amor nos possa salvar.
E quando acontece a sensação de que o amor nem sempre é suficiente?



Entretanto, fiquemos com mais este pensamento da nossa amiga poetisa:

Num mundo cada vez mais problemático são as palavras
que me dão a força necessária para continuar seguindo em frente.
 

O blog: Só te peço 5 minutos



Carlos Marín
 - E a fragilidade da vida -


=====

Meus amigos, desejo-vos uma boa semana.

Abraços 



=====
O Poema: in "Só te peço 5 minutos"
pg. 35

Imagem: pixabay

domingo, 2 de janeiro de 2022

Namoro




Mandei-lhe uma carta em papel perfumado
e com a letra bonita eu disse ela tinha
um sorrir luminoso tão quente e gaiato
como o sol de Novembro brincando de artista nas acácias floridas
espalhando diamantes na fímbria do mar 
e dando calor ao sumo das mangas.

sua pele macia - era sumaúma...
Sua pele macia, da cor do jambo, cheirando a rosas
tão rijo e tão doce - como o maboque...
Seu seios laranjas - laranjas do Loge
seus dentes... - marfim...
Mandei-lhe uma carta
e ela disse que não.

Mandei-lhe um cartão
que o Maninjo tipografou:
"Por ti sofre o meu coração"
Num canto - SIM, noutro canto - NÃO
E ela o canto do NÃO dobrou.

Mandei-lhe um recado pela Zefa do Sete
pedindo rogando de joelhos no chão
pela Senhora do Cabo, pela Santa Ifigénia,
me desse a ventura do seu namoro...
E ela disse que não.

Levei à avó Chica, quimbanda de fama
a areia da marca que o seu pé deixou
para que fizesse um feitiço forte e seguro
que nela nascesse um amor como o meu...
E o feitiço falhou.

Esperei-a de tarde, à porta da fábrica,
ofertei-lhe um colar e um anel e um broche,
paguei-lhe doces na calçada da Missão,
ficamos num banco do largo da Estátua,
afaguei-lhe as mãos...
falei-lhe de amor... e ela disse que não.

Andei barbado, sujo, e descalço,
como um mona-ngamba.
Procuraram por mim
" - Não viu...(ai, não viu...?) Não viu Benjamim?"
E perdido me deram no morro da Samba.
E para me distrair
levaram-me ao baile do sô Januário
mas ela lá estava num canto a rir
contando o meu caso às moças mais lindas do Bairro Operário

Tocaram uma rumba dancei com ela
e num passo maluco voamos na sala
qual uma estrela riscando o céu!
E a malta gritou: "Aí Benjamim!"
Olhei-a nos olhos - sorriu para mim
pedi-lhe um beijo - e ela disse que sim.

(1928-1973)

Viriato Francisco Clemente da Cruz nasceu em Kikuvo, Porto Amboim, Angola.
Considerado um dos mais importantes impulsionadores de uma poesia regionalista angolana nas décadas de 40 e 50, caracterizando-se a sua obra pelo apego aos valores africanos, quer quanto à temática, quer quanto à forma. A sua produção está dispersa por publicações periódicas e representada em várias antologias, das quais uma - No Reino de Caliban - reúne a sua obra poética.

Foi um principais mentores do Movimento dos 
Novos Intelectuais de Angola (1948) e da 
revista Mensagem (1951-1952).
Saíu de Angola em 1957 e em Paris foi juntar-se a 
Mário Pinto de Andrade, tendo desenvolvido 
intensa actividade política e cultural.




Sérgio Godinho
-O Namoro -


Tenham uma boa semana, meus amigos.

Abraços.


======
Poema - Site de António Miranda aqui

Imagem: pixabay