segunda-feira, 8 de julho de 2024

ÁFRICA



Continente considerado sem História por alguns autores.

Cercados por florestas densas, savanas ricas em vida animal, litoral de um lado e montanhas e lagos de outro, os africanos viveram milénios isolados do resto do mundo. Isso não significa, porém, que não desenvolveram sociedades tão avançadas quanto a egípcia(nordeste de África) — no interior da África em 100 d.C., o ouro era fundido com um processo que só chegou à Europa no início da Idade Média.

O método consiste em aquecer uma mistura de ouro, areia e vidro e então fazer a separação do metal precioso das demais substâncias. "Esses reinos medievais, numa confluência de rotas comerciais no Saara, eram sofisticados no uso de materiais disponíveis. Sua técnica de filtrar matérias-primas através de vidro fundido não havia sido vista antes. É única no registo arqueológico", contou o membro da pesquisa Marc Walton, ao 

A região era dividida em reinos e impérios. 

Na África Ocidental, havia o Império de Gana ou Império do Uagadu (localizado entre o deserto do Saara e os rios Níger e Senegal) que dominou a África ocidental durante a Idade Média. Era baseado no comércio do ouro.Nos anos 900 atingiu o máximo da sua glória. Entrou em declínio em 1240; 
E o império do Mali, que durou do século XIII ao XVIII e tinha como força o comércio de sal, ouro, especiarias e couro.

Na África Oriental, Império Etíopetambém conhecido como Abissínia, foi um império que ocupou os actuais territórios da Etiópia e da Eritreia, existindo, aproximadamente de 1270 até 1974, quando a monarquia foi deposta por um golpe de estado. Foi na sua época o mais antigo estado do mundo, e o único a resistir com sucesso à Partilha de África pelas potências coloniais do século XIX.

No sul da África, o Reino do Congo compreendia o que hoje é Angola, Congo e Gabão. Foi independente até o século XVIII, quando se tornou vassalo de Portugal. 

Havia ainda o Sultanato de Kilwa, território na costa do sudoeste africano habitado por bantos que foram conquistados por muçulmanos, e os reinos zulu, onde hoje estão África do Sul, Lesoto, Suazilândia, Zimbábue e Moçambique. Os zulus foram os primeiros a perceber o perigo da colonização branca e tentaram resistir, mas foram derrotados.

Além dos reinos mais conhecidos, havia uma série de outros reinos e cidades-estado altamente organizados. Eles contavam com sistemas de conselhos de anciões (ou anciãos ou anciães) e de administração para controlar as tribos, que tinham áreas de influência e as disputavam.

É daí que vem o argumento de quem tenta defender os europeus do processo de escravatura: “os próprios africanos escravizavam uns aos outros, que eram os inimigos de outras tribos”, dizem. Embora isso de facto ocorresse entre as tribos que guerreavam, os inimigos capturados tinham direitos sociais e não sofriam a agressão observada durante a escravatura praticada pelos europeus.

A maioria dos grupos africanos acreditava em um deus único, criador, maior e distante do homem. Em cada etnia, esse deus recebia um nome diferente: os Ashanti o chamavam de Onyankopoa; os Ewe, de Mawu; e os Iorubá, de Olorum.

Havia também culto às forças da natureza, que ganhavam personalidades humanas (orixás), por exemplo Ogum (do ferro, guerra, fogo) e Iemanjá (mãe de muitos orixás, orixá feminino dos lagos, mares e fertilidade).



***


Nota:

No passado dia 25 de Maio foi assinalado o Dia de África.
Durante este mês de Julho trarei alguns apontamentos
sobre este Continente.


====

Bibliografia para esta matéria:

.Fage, J.D. - História da África
Edições 70, Lda - 1997
.Ki-Zerbo, Joseph - História da África Negra I e II
Publicações Europa-América, 2ª Ed. 1990
.Larkin Nascimento, Elisa - O tempo dos povos africanos

13 comentários:

  1. Olá, amiga Olinda
    Interessante artigo sobre África e as suas diversidades.
    Infelizmente, sendo um continente rico em recursos naturais, como o ouro e diamantes, é o continente mais pobre e miserável do Mundo, devido à enorme corrupção dos seus governantes.
    Excelente partilha, estimada amiga.
    Votos de uma excelente semana, com muita saúde e paz.
    Beijinhos, com carinho e amizade.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com
    https://soltaastuaspalavras.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Boa noite de Paz, querida amiga Olinda!
    Confesso que foi um sonho não realizado fazer missão na África que quase aconteceu...
    Por outro lado, uma religiosa que pode fazer me contou tudo com riqueza de detalhes...
    Quanto ao lado desenvolvido do Continente, eu creio no potencial dos africanos tão resilientes como poucas nações no mundo.
    O sincretismo religioso deu vida a muitos corações (ainda dá). Sou devota de Iemanja, independente de culto religioso. Gosto de ofertar flores ao mar (pétalas) em gratidão à Rainha do pélago. Um culto muito difundido aqui cujas origens bem sabemos africanas.
    Tenha uma nova semana abençoada!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Es el continente olvidado por excelencia. Te mando un beso.

    ResponderEliminar
  4. África tem tido um destino trágico ...

    Para a Europa , tão cheia de si, nada tinha valor : veja-se o que fizeram na América , por exemplo.

    Actualmente, pouco mais é, infelizmente, do que uma seguidora subserviente dos EUA.

    Minha querida amiga, abraço com voto de boa semana.

    ResponderEliminar
  5. Cada continente traz suas histórias, algumas mais auspiciosas, outras bem mais pesarosas. Grata pela partilha.

    ResponderEliminar
  6. As suas publicações são plenas de interesse cultural.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. Estive a percorrer as edições anteriores...e que preciosas lições, minha querida Olinda!
    Fiquei mais conhecedora de aspectos que desconhecia.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  8. Vivi 18 anos em Angola!
    África é um território mágico!
    Obrigada pela informação 👏😘

    ResponderEliminar
  9. Que publicação incrível, minha querida amiga.
    Vou ter de voltar para ler tudo, tudo, com calma.
    (e ouvir as mornas que partilhas na publicação anterior)
    Entretanto, vou reencaminhar para o maridão, nascido em Moçambique, onde eu vivi dos 6 aos 23.
    Beijo. Obrigada por pesquisares e partilhares esta lição de História.

    ResponderEliminar
  10. Olá, amiga Olinda
    Passando por aqui, relendo este excelente post que muito gostei, e
    Aproveitando para desejar uma feliz fim de semana, com tudo de bom.
    Beijinhos, com carinho e amizade.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com
    https://soltaastuaspalavras.blogspot.com

    ResponderEliminar
  11. Minha querida. A magia de África fica no coração de quem lá esteve. Eu nunca esquecerei. Um beijinho com carinho e agradecendo a visita ao meu cantinho

    ResponderEliminar
  12. Tantos anos passados e ainda sinto e percebo os perfumes da África que pisei.
    Notável Post de descição perfeita e ponderação bem amadurecida.
    Obrigado, Amiga.
    Parabéns, Olinda.


    Beijo,
    SOL da Esteva

    ResponderEliminar
  13. Amiga Olinda,
    Já estive na África algumas vezes pelo Rotary. O continente africano é um berço cultural, gastronômico, artístico e religioso, é uma pena que (devido à colonização), ainda esteja dividido em África branca e África negra, o que torna as coisas economicamente falando, uma catástrofe social, com minorias com muito e a maioria com necessidades de todos as ordens.
    Abraços e bom fim de semana!!!

    ResponderEliminar