segunda-feira, 21 de março de 2016

Os meus versos - Maria do Carmo Santa-Rita

Ao ler estes versos que a autora me pediu para prefaciar, senti que tinha recuado no tempo, que tinha sido transportada para uma época em que as damas versejavam por inerência da sua condição.

Ao ler estes versos, senti que estava de novo perto do tempo dos Cancioneiros, dos Rimances, de uma poesia popular, atravessada aqui e ali por ecos de Florbela Espanca.

Nestes versos a sua autora - professora de Yoga - não projecta imagens da sua impassibilidade búdica, pois neles floresce e por vezes explode, um intenso hino à vida, às suas alegrias, tristezas e contradições.

Mapa emocional da vida da autora, estes versos são uma oferenda que ela generosamente fez de si e todos os que a lerem. E por isso merece o meu carinho.

Ana Hatherly - Novembro de 1997

Devaneios

Sonhei que possuía o mundo inteiro
num deslumbre de puras fantasias.
No pálido momento, o derradeiro,
reparo finalmente as mãos vazias.

Vivi do sentimento, na pureza
dum ideal sem par, todo brancura.
Revejo agora, sem ódio, com tristeza,
que tudo o que sonhei foi só loucura.

Relembro devaneios, rimas caídas
arrancadas para a rua
do livro que escrevi um dia.

Sofro, canto e choro amargamente.
Mas a dor indiferente
continua...

Maria do Carmo Santa-Rita
In: Os meus versos, pg. 73

Recebi este livro das mãos da autora, há já algum tempo. Hoje, dia em que se comemora a Poesia e tudo aquilo que ela nos traz de bom, permitindo-nos sonhar e expressar sentimentos, resolvi trazê-la ao nosso convívio.

Desejo-vos um excelente dia.

Abraço.

38 comentários:

  1. Gostei muito da sua escolha. Obrigada pela partilha, pois não conhecia esta poetisa.
    Um abraço e boa Páscoa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Elvira.Estou a acompanhar, embora um pouco de longe, a história do "Manuel da lenha".Uma vida totalmente preenchida.Uma luta pela vida de todos os dias.
      Bj
      Olinda

      Eliminar
  2. Um maravilhoso (quase) Soneto com os ingredientes magníficos dum estilo de Poesia que se vai esvaindo (infelizmente), por comodidades dos autores.
    Soube bem!
    Parabéns e beijo a ambas.


    SOL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, parece um estilo que vai caindo em desuso mas que nos lava a Alma.

      Abraço
      Olinda

      Eliminar
  3. De facto, temos poetisa. Aliás, a poetisa teve sempre lugar destacado na poesia escrita na nossa Língua. Maria do Carmo Santa Rita, parece estar - alguma ressonância similar - na linhagem de Florbela Espanca. Belo poema.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Língua Portuguesa conta, realmente, com grandes poetisas, muitas ainda desconhecidas do grande público.
      Abraço, Ondina.
      Olinda

      Eliminar
  4. Interpreto esse poema de forma triste...e saudosista. Obrigada pelos comentários que deixas no meu blogue, beijinhos, tudo de bom :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que tens razão, Diana. No conjunto dos poemas que preenchem este livro nota-se o sentimento de alguma perda.
      Bj
      Olinda

      Eliminar
  5. Olá Olinda. Poesia mesmo é tê-la de volta neste dia. Fico sempre contente quando a vejo aparecer aqui no seu jardim. Espero que esteja tudo bem consigo.

    Um beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, UJM

      Que lindas palavras me trouxe!Muito contente com a sua visita. É verdade, ando um pouco arredada deste jandinzito mas sempre convosco no coração.

      Bjs

      Olinda

      Eliminar
  6. ~~~
    Líndíssima esta dupla homenagem, querida Olinda,

    à poesia e à sensibilidade e talento da autora.

    ~~~ Beijinhos, amiga. ~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, querida Majo.
      Desejo-lhe um dia cheio de Sol e muitas alegrias.
      Bj
      Olinda

      Eliminar
  7. Olinda, o mundo bem precisa de beleza, muita beleza e delicadeza, como a destes versos!
    Beijinhos e ainda bem que está de volta :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Gata
      Estamos a viver dias que nos espantam pela quase constatação de que não aprendemos nada na nossa relação uns com os outros. Ainda bem que vai aparecendo quem nos faz crer o contrário.

      Bj

      Olinda

      Eliminar
  8. E fizeste muito bem, querida Olinda! Estamos a precisar tanto de poesia!!!!. Todos os dias entram pela nossa casa dentro noticias horrendas, actos que nem queremos acreditar que saiam de mentes ditas humana; são tao irracionais, tão diabólicas que parecem saidas de " bestas" daquelas mais ferozes e temiveis que possamos imaginar; mas mesmo essas, amiga não fariam nada disto; matam só pela sobrevivência e não com faz o dito homo sapiens. E perante este ódio, esta loucura, esta insanidad, este sofrimento , há alturas em que só nos
    apetece ficar em silêncio, bem aconchegados num macio xaile de seda, lendo e relendo palavras lindas como estas; a serinadese instala, pelo menos enquanto não voltarmos a os pedidos de socorro que nos chegam de todo o lado. E não podemos tapar os ouvidos; não seria justo para com aqueles que tanto sofrem. Olinda, depois deste meu "desabafo ", resta-me agradecer-te pelo belo momento de poesia e desejar que tenhas uma Páscoa feliz, com muita alegria e saúde. Um beijinho e boa noite
    Emília

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Emília

      É bem verdade o que dizes. Perante tanta infelicidade que por aí abunda, depois de momentos de reflexão e de recolhimento, há que partir para a luta no sentido de levar algum refrigério a quem mais sofre.

      Desejo que tenhas tido uma Feliz Páscoa e que do teu/nosso Brasil venham notícias queridíssimas entre elas a do bem-estar e saúde dos teus pais.

      Prometo-te uma visita, em breve, ao teu "Começar de Novo".

      Beijinhos

      Olinda

      Eliminar
  9. OI OLINDA!
    A POESIA É SEMPRE BEM VINDA, TRÁS BONS FLUIDOS POIS SAI DO CORAÇÃO.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Zilani

      E é bom deixarmos falar o coração quando dele saem palavras tão maviosas, não é?

      Bj

      Olinda

      Eliminar
  10. Que pelo menos os nossos sonhos sejam sempre bons!
    Olinda, que bom tê-la de volta :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haja sempre sonhos e que sejam daqueles que nos fazem acordar com um sorriso.

      Sim, voltei mas ainda a falhar muito por aqui. :)

      Bj

      Olinda

      Eliminar
  11. Minha amiga os poetas escrevem o que vai nos seus corações e conseguem assim tocar a alma de quem os lê.
    Obrigado pela partilha.
    Quero também agradecer a sua gentileza e simpatia em relação à doença do meu genro.
    Desejo-lhe uma Páscoa muito Feliz.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Maria

      Desejo que o seu genro esteja melhor e se recupere depressa.

      Votos de dias felizes.

      Bj

      Olinda

      Eliminar
  12. Querida Olinda
    Não conheço a poetisa que hoje nos apresentas e "comichosa" como sou... :) tentei informar-me no Google mas não consegui saber nada.
    Mas o que sei, sem qualquer sombra de dúvida, é que concordo absolutamente com o SOL - é um maravilhoso "quase" soneto - o estilo de poesia que mais aprecio e considero o mais difícil de compor.
    Obrigada por mais esta excelente partilha.

    Aproveito para desejar uma doce e feliz Páscoa.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Mariazinha

      Penso que este livro é de "edição de autor".Tem como dedicatória "à minha querida Mãe, dedico estes versos escritos entre 1952 e 1975".Vou ver se consigo pôr no post uma fotografia da capa.

      Espero que tenhas tido uma boa Páscoa, cheia de coisinhas doces.

      Beijinhos

      Olinda

      Eliminar
  13. Olá, Olinda.
    Um poema que chega à alma.
    Deixo um bj doce, com sabor de Páscoa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Carmem

      É mesmo.E o coração agradece.
      Que a tua Páscoa tenha sido com tudo de bom.
      Bjinho
      Olinda

      Eliminar
  14. É Páscoa! Cristo está vivo, o túmulo está vazio, Ele ressuscitou!!! A mais bela festa dos Cristãos.
    Crentes no Amor de Deus Pai que nos deu seu Filho Jesus Cristo que permanece conosco pela força do
    Espírito Santos, seguimos nossa caminhada na construção de um mundo mais justo, fraterno, humano,
    harmonioso e de doação.
    Todos somos promotores da Paz!
    Feliz, Santa e Abençoada Páscoa.
    Um doce abraço, Marie.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tempo de renovação.
      Obrigada, Marie.
      Bj
      Olinda

      Eliminar
  15. Ao desejar uma Santa Páscoa , deparo com uma poesia inteira de emoções e musicalidade. Obrigada por trazê-la , parabéns a autora
    Beijinho e bem-vinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por vezes necessitamos de devaneios para suprir a dura realidade da vida. Este poema traz-nos realmente essa emoção envolta em harmonia e, talvez, um certo desencanto.
      Obrigada, Manuela, pela visita e comentário.
      Beijinhos
      Olinda

      Eliminar
  16. E que bom que decidiu partilhar connosco estes versos. Foi uma bela comemoração deste Dia da Poesia.
    Beijinhos e uma boa Páscoa :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Catarina H.
      Tudo de bom para si.
      Beijinhos
      Olinda

      Eliminar
  17. Olá Olinda!
    Lindo, lindo, lindo.
    Que tenhas uma Páscoa Feliz e que dentro de um ovo colorido encontres alegria, saúde, amor... e muita poesia, tão bela quanto a que partilhaste.
    É bom ter-te de volta.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alegria, saúde e amor! Bem bom. E com poesia completamo-nos.
      Obrigada, Teresa, por estes votos tão lindos.
      Beijinhos
      Olinda

      Eliminar
  18. Todos os dias são bons para embalarmos a alma com bons versos.
    E a Primavera já se anuncia.
    Beijinhos, uma linda semana
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos os dias são dias da Poesia.
      E tomamos consciência disso a cada
      passo. Com a Primavera mais um
      pretexto para nos sentirmos felizes.
      Obrigada, Ruthia.

      Beijinhos

      Olinda

      Eliminar
  19. Saber ver a poesia nas pequenas coisas que nos rodeiam é uma arte, tanto mais difícil num mundo ensandecido como o nosso.
    Contudo, tentemos, não desistamos de ser poetas, poetas que se alimentam a si próprios, que buscam o belo com a mesma urgência do náufrago na procura de terra firme.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Belo! Tem razão, o mundo à nossa volta é um canto à poesia.É importante saber ver isso e sentirmo-nos como parte do universo.

      Abraço

      Olinda

      Eliminar