domingo, 25 de agosto de 2019

Liberdade é esta chama...





Benignos os deuses que derramam
Sua majestade no coração dos homens
E dulcificam tempestades
No fogo dos poetas.

Néscios os homens que caminham rente
Aos pés e de olhar perdido:
Receiam a nuvem
E gota de luz.

E gemem as dores
E funestas danças no corpo interdito
De auroras negras.

Liberdade é esta chama. Que almeja
A inquietação dos anjos
E o seio do barro redentor.

E se glorifica eterna
Na fusão do sonho
E mágoa.

Manuel Veiga

in Perfil dos Dias
pg.100


Ler Perfil dos Dias, o mais recente livro de Poesia de Manuel Veiga, é deveras um exercício de pertença. Nesse percurso, assinalam-se os poemas nossos preferidos para, a seguir, voltar ao princípio porque afinal são esses e mais outros e assim sucessivamente acabando, nós, por perfilhá-los a todos.

Então, porquê a escolha de "Liberdade é esta chama..." e não outro, nesta nossa publicação de hoje?

Estes versos: Liberdade é esta chama.Que almeja/A inquietação dos anjos/E o seio do barro redentor, e todos os outros que compõem o poemanão poderiam, quanto a nós, definir com maior acuidade esse valor por que todos ansiamos, aflorando o fogo interior que nos anima e a nossa condição humana. E nesse lume redentor marcamos encontro esconjurando as nossas fraquezas e fantasmas.


Conhecendo um pouco da obra de Manuel Veiga, julgamos ver neste livro uma deliciosa contenção, quiçá, uma bem alojada maturação de ideias e de sentires. 

Os poemas grandiloquentes, que amamos, de palavras que desafiam os deuses, cantam Helenas e Lydias, louvam  montanhas e declives, água e febre, em que, por vezes, o Poeta (perdoe-nos esta interpretação), ombreando com essa força divina lança raios e coriscos, em rasgos de puro talento,- dão lugar no presente livro a um olhar mais intimista e humanizado

Com efeito, surgem os chamados Poemas Mínimos dos quais colhemos mensagens inteiras e também aqueles em que o Poeta se recolhe e mostra mais de si, como em Inamovível Pedra, Sou Pedra Rústica, Sei que passo, Fio de prumo e outros, não deixando de lado Regresso(s), poema de uma doçura imensa.

Perfil dos DiasManuel Veiga
Modocromia Edições, Lda
2019




Do Autor, assinalamos ainda:

"Do Amor e da Guerra - Fragmentos", editora Modocromia, 2018. 
"Caligrafia Íntima", Poética Edições, 2017
"Do Esplendor das Coisas Possíveis", Poética Edições, 2016
"Notícias de Babilónia e Outras Metáforas",  editora Modocromia, 2015.
"Poemas Cativos", Poética Editora, 2014.

O Blog: Relógio de Pêndulo
.
NOTA: 
Num próximo post apresentaremos um Apontamento sobre o "Do Amor e da Guerra - Fragmentos". 

====

1ª imagem:
Pixabay


14 comentários:

  1. Gostei muito de conhecer mais aqui! Beleza! bjs,chica

    ResponderEliminar
  2. Boa noite de Domingo, querida amiga Olinda!
    Gosto tanto dessa música e a versão que pôs aqui é linda.
    A primeira estrife do poema é dos deuses:

    E dulcificam tempestades ...

    Todo ser humano precisa ser um doceiro da paz.
    Um belo momemto tive aqui, amiga.
    Seja feliz e abencoada!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
  3. Estou de acordo com o que diz sobre este livro do Manuel Veiga. Posso até dizer que ele, meu Amigo, vem escrevendo cada vez melhor. Este poema é maravilhoso.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Achei excelente a tua apresentação e interpretação.
    Uma boa e bem sucedida semana.
    Abraço grande
    ~~~

    ResponderEliminar
  5. Boa tarde, Olinda

    muito grato e sensibilizado pelo interesse que dispensa à leitura dos meus livros. e tanto mais honrado me sinto quanto é certo que a Olinda não desperdiça nem tempo, nem as suas palavras, em elogios fáceis.

    julgo que todos os poetas desejam ser lidos e compreendidos e, sobretudo, desejam ser "percebidos", na sua condição e complexidade "existenciais".

    felicito-me, por isso, por encontrar na minha amiga, uma leitora atenta e generosa, que tão eloquentemente, pela sua pessoal leitura, "desvenda" o pulsar do "Perfil dos Dias".

    bem haja!

    abraço.

    ResponderEliminar
  6. Que lindo! Até a trilha sonora está perfeita!

    ResponderEliminar
  7. Um poema maravilhoso e uma música divinal.
    Excelente escolha
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  8. Olá, Olinda!
    O nosso amigo Manuel Veiga certamente foi tomado de um momento de alegria ao ler esta sua postagem, que abre com um belo poema do poeta e depois fala sobre ele e seu livro. Melhor que eu, Olinda, você sabe do talento de Manuel, tanto na poesia como na prosa. Sucesso para o amigo.
    Uma ótima quinta-feira, amiga Olinda. Beijo. Pedro

    ResponderEliminar
  9. Bom dia, querida Olinda, é muito bom encontrarmos um amigo poeta 'Top de linha' no blog dos amigos. Fica registrado, nesse gesto, nosso gosto e admiração pela sua escrita, pelos seus poemas, que se as ideias não ficam tão expostas, estão muito bem sentidas nas entrelinhas. E nosso amigo Manuel faz muito bem isso.
    Bela postagem, amiga, aplausos para você sempre. Aplausos para Manuel!
    Beijo, um ótimo fim de semana para os dois amigos.

    "Benignos os deuses que derramam
    Sua majestade no coração dos homens
    E dulcificam tempestades
    No fogo dos poetas."

    ResponderEliminar
  10. Não conhecia...Vou procurar conhecer mais.
    Bela Música a complementar.
    Boas Férias e
    Beijo grande Amiga.

    ResponderEliminar
  11. Gostei muito desta leitura.
    "A inquietação dos anjos
    E o seio do barro redentor"
    foi, assim, o que chamou mais a atenção,
    de barro somos, pelo divino suspiramos,
    como bem referes "o fogo interior que nos anima e a nossa condição humana".

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  12. Belíssima leitura do nosso amigo poeta.
    Também gosto desse estilo contido, ao gosto de um neoclássico - um Ricardo Reis onde é possível alojar momentos felizes e redentores.

    A imagem também é linda.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  13. Conhecer a obra de Manuel Veiga é um grato privilégio. Diria que é ir sempre mais além numa demanda marcada por imagens poéticas fervilhantes. E ao mesmo tempo contidas. Diria, também, que o olhar da Olinda é de enorme talento.
    O acompanhamento musical torna este momento perfeito. Que ambiente, amigos!
    Beijos.
    Beijos.

    ResponderEliminar