segunda-feira, 20 de novembro de 2017

E a dessalinização da água do mar?









É meritório o que se tem visto: o transporte de água em camiões-cisternas para onde não há água nem para beber, como é o caso de Viseu. Contudo, a situação não é passível de se prolongar durante muito tempo. A água é um bem que pode acabar. 

Ouvi hoje o Ministro do Ambiente dizer a miúdos da escola que a água não se fabrica. Pois não. Mas é bom que comecemos a pensar em fabricá-la, aproveitando as técnicas que outros países carentes de água já estão a utilizar há muito tempo: dessalinizando a água* do mar. Falo do Médio-Oriente e aqui mais perto de nós de Cabo Verde, país com o qual temos muitas afinidades histórico-culturais. 

Pergunte-se aos cabo-verdianos como é que lidam com a seca, como fazem para que a água doce chegue às torneiras de forma sustentada e como fazem para que ali surjam verdadeiros oásis. É tempo de pormos todas as cabeças a trabalhar na resolução deste problema. Se não o atacarmos de frente, dele vão nascer muitos outros em catadupa, mas ao contrário. Aliás, não há que inventar. 

Bastará pôr em marcha o que já existe.

====




Não querendo ser insistente nem aborrecida, mas sendo:
Li hoje, 22/11, uma notícia sobre as alterações climáticas, em que pessoas gradas ligadas ao Ambiente tecem considerações sobre o assunto numa mesa redonda, um Encontro Nacional de Entidades Gestoras de Agua e Saneamento, em Évora. Ora, leia-a também, aqui. 






=====
*Nota: Sei do que falo. :) 
É a água que eu bebo e utilizo, para tudo, quando vou a Cabo Verde.

Ver:
1ªImagem: Pixabay
2ª Imagem Notícias ao Minuto

6 comentários:

  1. É urgente que se faça alguma coisa. Porque a tendência, é que cada vez mais se repitam as secas.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Olá Olinda
    Tem sido dito que a dessalinização é demasiado cara. Mas têm de surgir medidas de adaptação, isso não há dúvida!
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. água de beber. aqui. sempre!
    muito bem!

    ResponderEliminar
  4. Tenho questionado várias vezes publicamente porque não se segue o exemplo de Cabo Verde no Sal.


    Grato abraço pelas simpáticas palavras no meu espaço.

    Feliz resto de semaan

    ResponderEliminar
  5. Pois, também já tenho pensado nisso, com tantos quilómetros de costa que temos! Dizem que é caro, mas não pagamos já a água (que cai literalmente do céu))?
    Beijinhos

    ResponderEliminar