segunda-feira, 9 de maio de 2022

As tuas Lágrimas




As tuas lágrimas respiram e florescem, o lugar onde te sentas é o rio que corre em sobressalto por dentro de uma árvore, seiva renovada que transporta palavras até às folhas felizes de um amor demorado e ainda puro. E essa árvore fala através das tuas palavras, demora-se em conversas com as abelhas, com os gaios, com o vento.

As tuas lágrimas iluminam as páginas alucinadas dos livros de poesia, e as mesas claras tão cheias de frutos que se assemelham a fogueiras ruivas, alimento privilegiado de um imenso e intenso dragão que me aquece o sangue.

As tuas lágrimas transbordam os grandes lagos dos meus olhos e eu choro contigo os grandes peixes da ternura, esses mesmos peixes que são os arquitectos perturbados de uma relação sem tempo mas alimentada por primaveras que de tão altas são inquestionáveis.

As tuas lágrimas fertilizam as searas celestes, arrefecem o movimento dos vulcões, absorvem toda a beleza do arco-íris, embebedam-se com a doçura das estrelas. E são oferendas à mãe terra, o reconhecimento final do princípio do nosso pequeno mundo. 

As tuas lágrimas são minhas amigas. São as minhas lágrimas. A forma de chorar-te cheio de alegria, ferido por esta felicidade de amar-te muito, de amar-te sempre, de apascentar nas horas mais desoladas, o meu rebanho florido de azáleas brancas e vermelhas.

Joaquim Pessoa, 
in 'Ano Comum'



Joaquim Maria Pessoa (1948), conhecido por Joaquim Pessoa, é um poeta, artista plástico, publicitário e estudioso de arte pré-histórica português. aqui








Boa semana, meus amigos.


Abraços
Olinda


====

Imagem: pixabay

20 comentários:

  1. Linda leitura nos trouxeste nas palavras de Joaquim Pessoa! Adorei!
    beijos, ótima semana! chica

    ResponderEliminar
  2. Poema e musica deslumbrantes que me fascinou ler e ouvir.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  3. Texto e música de encantar o coração.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Chuva, venha ela....
    um texto com cores de amor perfeito
    abraço

    ResponderEliminar
  5. Uma publicação muito curiosa e interessante!
    -
    Os sons do silêncio...

    Beijos, e uma excelente semana.

    ResponderEliminar
  6. Maravilha! Eu me deliciei com sua postagem. Tudo lindo, texto escolhido e vídeo. Consegui entrar rss. Seu blog está em minha lista. Abraço.

    ResponderEliminar
  7. Boa tarde, Olinda!

    Bonito texto. Lembrando-nos que a qualquer momento, inclusive, sem que se possa prever a hora exata, as lágrimas vêem.

    Beijo! Fiquei seguidora.

    ResponderEliminar
  8. Linda esta " chuva " de Jorge Fernando que não conhecia e depois um belo texto de Joaquim Pessoa sobre as lágrimas que, como também a chuva podem ser diferentes. É encantador sentirmos a chuva a bater, de mansinho, nas nossas vidraças , parecendo as lágrimas que tantas vezes vertemos de saudade, saudade de amores vividos, saudades de pessoas que por nós passaram e deixaram algo de muito positivo, saudades de factos relevantes da nossa história; como diz a canção, há acontecimentos na nossa vida que de tão pequeninos e fúteis, não merecem sequer serem lembrados, assim como há pessoas que só deixaram motivos para lágrimas de raiva. Sim, lágrimas de raiva também caem e essas assemelham-se àquela chuva destruidora que leva tudo pela frente, sem dó nem piedade, deixando mágoa e sofrimento. Mas as que aqui, Joaquim Pessoa canta, são lágrimas de emoção , lágrimas que por vezes caem de alegria, de saudade por momentos felizes que já passaram, lágrimas por um amor imenso que se vive com cumplicidade tal que, quando caem dos olhos de um, se misturam às que vertem os olhos do ser amado. Infelizmente nem todas as lágrimas são assim suaves , de contentamento, mas, sim de grande sofrimento e de dores tamanhas e essas assemelham-se aquela chuva impiedosa que destrói vidas e que não pede " licença " para cair tão intempestiva. Mas a vida também corre ao seu ritmo e não se preocupa com o tipo de lágrimas que vão deslizar pelo nosso rosto abaixo. Temos que as aceitar, assim, a chuva e as lágrimas e remediar os estragos da melhor maneira que pudermos e soubermos, pois a vida não nos dá outra opção, não é verdade, querida Amiga? Mas, o que é mesmo verdade, é que esta publicação está lindissima e emocionante e que o meu desejo é que as tuas lágrimas sejam sempre de emoção. Essas lavam-nos a alma. Um beijinho, querida Amiga e saúde para todos
    Emilia 👏 🙏

    ResponderEliminar
  9. Boa tarde Olinda,
    Um texto muito belo de Joaquim Pessoa!
    «As tuas lágrimas são minhas amigas. São as minhas lágrimas. A forma de chorar-te cheio de alegria, ferido por esta felicidade de amar-te muito, de amar-te sempre, de apascentar nas horas mais desoladas, o meu rebanho florido de azáleas brancas e vermelhas». Uma preciosidade!
    Jorge Fernando, cantor e compositor que muito admiro e esta canção uma pérola da música portuguesa (composição sua), embora mais conhecida na voz de Mariza.
    Um beijinho e obrigada por esta maravilhosa partilha.
    Ailime

    ResponderEliminar
  10. Olá Olinda :)
    Sempre um prazer chegar aqui.
    Nunca consigo dizer quem gosto mais de escutar a cantar Chuva, se o Jorge Fernando se a Marisa.
    É um poema lindo, juntamente com as Lágrimas de Joaquim Pessoa.
    Um momento sublime.
    Grata por esta partilha.
    Brisas doces*

    ResponderEliminar
  11. Uma boa escolha amiga. Adoro Joaquim Pessoa.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
  12. Oi querida Olinda, amei ler Joaquim Pessoa e o vídeo é maravilhoso amei ouvir a bela canção.
    Amada, obrigada pela visita e comentário em minha página.

    Beijinhos com carinho🌹

    ResponderEliminar
  13. O gosto que é ler Joaquim Pessoa que tem textos de rara beleza neste livro "Ano Comum". Como me fez bem lê-lo aqui, minha Amiga Olinda.
    Tudo de bom para si.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  14. Olá Olinda,!!! Venho lá do "Espiritualidade em Gotas". Grata por seus comentários por lá.
    O texto postado é maravilhoso !!
    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  15. Que beleza de texto e música, Sinto-me encantada com suas partilhas. Um prazer estar aqui.Grata bjssssã

    ResponderEliminar
  16. Emocionante texto, grande escritor, gostei muito. Beijos ;) https://botecodasletras2.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  17. Direi que os textos de Joaquim Pessoa são sempre muito ricos nos conteúdos. Podemos misturar-nos "Nas tuas Lágrimas" e sentir-mo-nos dentro delas.
    Magnífico!


    Beijo
    SOL da Esteva

    ResponderEliminar
  18. Eu sempre gostei de escrever, acho que foi algo que nasceu em tenra idade e há altores que têm uma qualidade de escrita tal que eu penso que podem escrever sobre qualquer coisa que a beleza que transmitem vale bem mais do que a imaginação.
    A amostra que nos oferece contém poesia e ilumina o momento.
    Abraço e obrigado pelas suas escolhas perfeitas

    ResponderEliminar
  19. Boa tardinha de sábado, querida amiga Olinda!
    "Um amor demorado e ainda puro" realmente floresce folhas verdejantes.
    As lágrimas de quem amamos são nossas também quando somos pessoas sensíveis, de 💙 flexível, não endurecido pelo mal.
    Lindo o vídeo e numa melodia suave que estou ouvido com gosto.
    As lágrimas nossas de cada dia irrigam nosso 💙 para que não morra de sede
    Post lindíssimo!
    Tenha um final de semana abençoado!
    Beijinhos com carinho de gratidão e estima
    😘🕊️💙

    ResponderEliminar