sábado, 8 de novembro de 2014

A César o que é de César, claro. Mas...

Os comerciantes parecem estar um pouco mais satisfeitos. O Verão não deu em quase nada com o tempo fresco que fez. E o Outono travestido caminhava para o mesmo. Mas estes diazinhos frios e com alguma chuva começaram a dar resultado. Já se veem montras com roupões e chinelos a prometerem noites aconchegantes. Também botas, botins, gabardinas e guarda-chuvas à maneira. Talvez São Martinho ainda lhes troque as voltas. Há oferta de castanhas e água-pé nas lojas e lá para os lados de Marvão*. Por mim são bem-vindas, as castanhas. Outono que é Outono tem de vir delas adornado e com o respectivo cheirinho e parafernália a condizer. E mais o nevoeiro. Não sei se já disse aqui, gosto de tempo meio nublado, mais ou menos como na brumosa Avalon, com um arrepiozinho de frio a pedir um bom chachecol, gorro e luvas. Gostos...




O seu a seu dono. A cada estação o que lhe pertence, pois isso do El Niño a evidenciar a alteração da ordem natural das coisas, a sucessão dos dias e das noites e a cadência das estações do ano, é desgastante. Com tantas alterações não se sabe bem que roupa vestir ou com o que contar. Bom seria se a esse nível ou a um outro mais comezinho as coisas fossem um pouco mais previsíveis. Como, por exemplo, em relação ao subsídio de natal. Quem contava com ele para pagar umas contas, comprar umas roupas para os miúdos, sair um pouco do aperto, já era. É que o papão ainda aí. Cuidemo-nos.




Sabem que o fisco acaba de lançar uma ofensiva, uma autêntica razia, enviando para a casa de algumas pessoas não uma carta mas tantas quantas as coimas, 11, 46, o que for preciso... entupindo as caixas do correio, abarrotando-as? É que não são quantias pequeninas. São valores na ordem de 700€, 3000€, 4000€, etc. As pessoas estão em pânico, não sabem o que fazer. No caso dos 700€ trata-se de um jovem casal que passou inadvertidamente por aquelas famigeradas portagens encapotadas da Brisa, que quase ninguém vê, e que estão certo tempo nos CTT a pagamento e etc, etc, etc. Portagens de 0,30€ cada, de 2012, quando a implementação do sistema estava no seu início, salvo erro. Além das cartas com as coimas, há uma muito especial em que a entidade interessada reclama o pagamento dos 50€, em falta, referente às portagens e aos serviços administrativos que lhes estão associados. Então, não se pode pagar em prestações? Perguntei eu aos jovens. Pois, isso acarretaria mais juros porque se teria de aguardar pelas respectivas execuções fiscais.

Meus amigos, como numa romaria, urge que acedamos ao Portal das Finanças para ver a nossa situação no que se refere a dívidas fiscais. Nunca fiando. Nunca se sabe quando o mundo nos cai em cima, completamente desvalidos que estamos.

Enquanto isso, gozemos deste Sol que Deus nos deu, lavado com a chuvinha que vai caindo, a espaços.

====

XXXI Feira da castanha de Marvão - 8 e 9 de Novembro

1ª imagem - daqui
2ª imagem - daqui 

40 comentários:

  1. Aqui ao pé de mim agora está a cair uma chuvada das boas. Parece que os céus me vão cair em cima, desfeitos em água. Mas antes os céus que as finanças!

    Bjs

    Isabel Gomes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá isso é verdade, Isabel, desde que a água seja comportável. :)

      Bj

      Eliminar
  2. ❤`•.¸¸.•´´¯`•• .¸¸.•´¯`• Oh ! Magnifique publication !

    MERCI pour ce beau partage Olinda !!!

    Bon week-end et GROS BISOUS !!!!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Obrigada, cara Nancy.
      Adorei os teus post sobre as Filipinas.
      Bjs

      Eliminar
  3. Esta semana trouxeram-me umas poucas de castanhas. Serão senhoras e rainhas nos serões cá em casa. Estas são uma fonte de calorias para este frio que se aproxima e ainda uma forma de esquecer tanta sede de nos sacarem os últimos cêntimos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Serões que se adivinham aconchegantes.

      Abraço

      Eliminar
  4. Uma boa nota para os menos avisados. Gostei. Mas gosto mais de castanhas.
    Que o Fisco seja diabólico e faça coisas que não lembram ao diabo, não lembra a pessoas sérias. Que se saiba, é coisa que falta para os lados da governação.
    Na falta de calor, somos queimados pelo gelo das Leis.

    Beijos


    SOL

    ResponderEliminar
  5. De facto, as Finanças fazem tudo muito bem pensado. Notificam pouco, muitas das vezes, não notificam dizendo que o problema foi da distribuição dos correios. Deixam passar anos e anos para os juros crescerem e pagarmos o que temos e o que não temos. E depois, ficamos com valores impensáveis para se pagar em 10 dias sem grandes possibilidades de parcelar. Procedimento propositado para entrar em execução fiscal, a coima crescer e retirarem do ordenado de quem não tem outros bens. Tiram do ordenado já bem contadinho e pagamos às Finanças, ficando a luz ou a água por pagar, dado que o ordenado contadinho já tinha destino para o essencial. E é aqui começa, não poucas vezes, a desgraça de muitas famílias. É uma bola de neve negra e bizarra!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Carina, pelo contributo.
      O Roteiro de Nice, no Tripping in Trips, está uma maravilha.
      É uma viagem pelos sabores, paisagens e factos históricos
      daquelas paragens.

      Bj

      Eliminar

  6. Para a:

    Imperatriz Sissi

    Não consegui publicar o meu comentário ao seu post:
    http://jessi-aleal.blogspot.pt/2014/11/frau-merkel-detesto-dar-lhe-razao.html,

    de modo que o insiro aqui, caso aceda ao Xaile de Seda

    ====

    Realmente, é um facto. Foram praticamente banidas as escolas técnicas donde saíam pessoas já com uma actividade profissional em perspectiva. Ultimamente tem havido alguma vontade de regressar a elas mas persiste um certa tendência elitista dos putativos candidatos.

    Quando saímos das Universidades apenas trazemos a parte teórica e ao exigirem-nos um currículo e experiência é quase uma anedota. Não há duvida que a maior parte das vezes o destino provável é entregarmo-nos na voragem representada pelas empresas de emprego temporário.

    Ainda há o outro lado que bem refere, que é considerarem que há habilitações a mais, ficando a pessoa entregue, não à frustração de desempenhar funções abaixo da sua preparação académica, mas àquela que é ter de ficar em casa sem nada para fazer e a precisar de dinheiro.

    Não há dúvida que é necessária e urgente a revisão de toda esta problemática.

    Cara I.S., as suas crónicas tocam sempre em pontos nevrálgicos da sociedade, contribuindo para a reflexão e debate de muitas matérias.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  7. Querida amiga

    Moro no Nordeste do Brasil.
    Moro perto do mar
    e no mar escolhi o lugar
    onde serão jogadas as minhas cinzas.
    Mais precisamente a Barra do Ceará,
    local onde o por do sol de Fortaleza
    onde moro,
    foi escolhido o mais bonito
    do estado...
    Fiquei com o final de seu texto
    e a imagem do sol
    em minha lembrança...

    ____________________________________

    Fotografe a alegria e a revele
    na máquina digital do seu coração...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Ceará!
      Tenho a sorte de seguir uma blogger (Da Cadeirinha de Arruar)
      que nos tem transmitido muito da beleza e costumes
      das suas cidades.

      Um grande abraço, Caro Aluísio.

      Eliminar
  8. Não se pode mais confiar no tempo. Se o dia amanhece ensolarado, a tarde costuma trazer vento. Mas todos pedem a chuva, por aqui, já que está faltando água.
    Taxas e impostos são martírio para os brasileiros. E não temos esperança de que sejam reduzidos. Nessa época de final do ano, fazem mutirão para os devedores quitarem seus débitos. Para que? para gastarem mais e continuarem endividados. Coisa de louco, esses governos. Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. É mesmo. Mundo louco!
      E assim vamos andando esperançados em dias melhores.

      Bj

      Eliminar
  9. Tenho uma colega, que tem para pagar 1800€. De uma passagem que ela diz não ter feito, mas admite que o filho possa ter feito, já que tinha dado o carro ao filho quando fez 70 anos e deixou de conduzir. O problema é que a primeira carta foi parar à casa, onde morou, mas que vendeu após a morte do marido para fugir de recordações. E nunca a recebeu. Mas ela disse-me que conseguiu negociar a dívida e que lhe descontam 58€ por mês na reforma.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Cara Elvira

      Muito obrigada.
      É sempre bom saber que há alternativa.

      Bj

      Eliminar
  10. ~
    ~ ~ Excelente e completa esta dissertação sobre este Outono.
    ~ ~ Tornada divertida por uma interessante crítica irónica ...

    ~ ~ Por estes dias, concentremo-nos nas boas castanhas.
    ~ ~ Eu prefiro-as com um chá aromático. Também aquece.

    ~ ~ ~ Feliz semana de São Martinho. ~ ~ ~

    ResponderEliminar
  11. Coimas? Para mim, são mais outra coisa...

    Achei piada: tal como a nossa amiga Majo, aprecio muito castanhas com chá !

    Bom, se alguém juntar às castanhas , batatas doces ...obrigadaaaa

    Feliz semana, querida Olinda :)

    ResponderEliminar
  12. Majo e São

    Castanhas com chá é novidade para mim.
    É caso para ver como é. :)
    A batata doce é uma velha conhecida minha,
    como disse à Isabel Gomes num comentário
    ao post muito completo dedicado a este delicioso
    alimento.

    Bjs

    Olinda

    ResponderEliminar
  13. A roubalheira feita instituição!
    Al Capone coraria de vergonha por haver bem melhor que ele!...
    Saudações minhas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai Al Capone, o homem apanhado na teia dos impostos, ficando por responder por aquilo de que era acusado na realidade...

      Abraço

      Olinda

      Eliminar
  14. Olá Olinda; gostei do texto...Espectacular....
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  15. Caso para dizer , que quem me avisa, meu amigo é .
    Desconhecia esta prenda das finanças . Mas como agora está primeiro S. Martinho, que venham as castanhas e troquemos a bebida para o vinho do Porto de casco... Depois, pode ser que o sr fisco nos seja mais brando...
    Obrigada Olinda
    Beji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Castanhas e Vinho do Porto!
      Bem bom. Gostei da ideia.
      Bj

      Olinda

      Eliminar
  16. º° º°。☆ ★彡 Un petit coucou en passant chez toi ce mardi chère Olinda

    Bonne continuation et GROS BISOUS d'ASIE !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Continuação de boa semana, Nancy

      Beiinhos

      Eliminar
  17. Quando as pessoas não pagam nos CTT as portagens das SCUT dentro dos prazos, eles enviam um aviso. Se não pagarem este último é que farão a execução fiscal.Foi assim com algumas quatro situações que que nos aconteceram indirectamente. Alguém passou com os nossos carros.
    Esta é uma situação muito delicada. Pagámos com os nossos impostos a construção das estradas e agora temos de pagar a sua utilização.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. amigo Luís

      Um problema ainda maior quando surgem situações como essa.
      Obrigada pelas informações que aqui nos deixa sobre prazos e afins.

      Abraço

      Eliminar
  18. Antes de mais, Olinda, quero dizer-lhe que li as Brumas de Avalon há muitos anos; são 3 volumes e adorei. Um dia voltarei lê-lo; acontece-me isso muitas vezes, necessidade de ler um livro pela segunda vez. Quanto ao pagamento das ditas scuts, foi muito mal programado. Não se admite que as pessoas se vejam obrigadas a terem um aparelho no carro ou então ter de se dirigir aos correios para pagar. E os que vêm de fora? Muitos não pagaram e nem pagam. Tinham que ter colocado uma cabine com um funcionário. Quer dizer, somos obrigados a parar duas vezes por uma estrada e ainda por cima temos que ter o incomodo de ir aos correios cada vez que passarmos nelas.Um absurdo, como tantos outros. Mas, hoje é dia de castanhas; vou comê-las à noite com o meu marido, assadas no forno e acompanhadas com vinho tinto. Espero que te saibam muito bem as tuas e pelo menos por hoje esqueçamos o fisco. Beijinhos, amiga! Fica bem
    Emília

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Emília

      As Brumas de Avalon, universo mítico que recupera os ritos pagãos em oposição à cristianização e pondo em relevo a tradição arturiana. Também gostei muito.

      Em relação às portagens, a forma de pagamento tem de levar uma volta de modo a não dificultar a vida às pessoas. Mesmo não querendo, as pessoas acabam por não cumprir, por causa do arrevesado do sistema.

      Acompanhei as minhas castanhas com água-é que me foi oferecido. Mas até o lavar dos cestos é vindima: vou agora acompanhá-las com chá e num outro dia com vinho do Porto, conforme as sugestões deixadas aqui. :)

      Bjs

      Eliminar
  19. Taxas e impostos aqui no Brasil é o que não falta.
    Aqui precisamos de chuva, aqui no meu estado o sol esta castigando. Chuva nada ainda, espero que logo apareça uma boa chuva, porque os reservatório de água estão secando.
    Deixo um beijo e ótima semana Olinda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é verdade, a chuva esta em falta. Soube por amiga.
      Espero que a chuva não se faça esperar, cara Smareis.

      Bj

      Olinda

      Eliminar
  20. Verdade o clima mudou no mundo e os responsáveis somos nós por não respeitar a natureza...
    Beijo Lisette

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os problemas ambientais são em grande parte culpa nossa, sim.
      E não há forma de aprendermos com os nossos erros.

      Lisette, desejo-lhe a continuação de uma boa semana.

      Bj

      Eliminar
  21. Ai valha-nos Deus, que rico postal de Natal que andam a enviar!!!
    Também recebi há 2 anos por esta altura uma multa por entrega de declaração fora do prazo: 125 euros, por ser para amigos...
    Beijinhos, boa semana!

    ResponderEliminar
  22. M.

    Uma altura escolhida a dedo...
    Bj

    ResponderEliminar