sábado, 8 de fevereiro de 2014

Holambra - Cidade das Flores

O caminho que me conduziu a Holambra foi muito interessante. A partir de um tema do Sec.XVIII que me interessava fui avançando até 'Províncias Unidas-Neederlands/Invasões holandesas (Brasil)' e, no meio de veredas e atalhos, apareceu-me Holambra. Misteriosos são os caminhos da net. É assim que eu me perco...



Mas, gostei de descobrir Holambra, nome que é um misto de Holanda, América, Brasil. Existe desde 1948, uma data relativamente recente, e ligada à imigração de holandeses (neerlandeses) para o Brasil, após a 2ª guerra mundial.



Holambra (município paulista) é considerada o maior centro de produção de flores e plantas ornamentais. É também considerada, oficialmente, uma estância turística, que promove anualmente a maior exposição de flores da América Latina: a Expoflora, realizada anualmente, desde 1981, no mês de Setembro.

Setembro ainda vem longe. Porém, qualquer mês é bom para se falar de flores, em especial Fevereiro que apela a tudo o que é romântico, altura em que, por cá, se comemora o Dia dos Namorados.




Voltando ao nosso tema:

É evidente a preservação da cultura holandesa em muitos aspectos. Este é o Moinho Povos Unidos de Holambra, com 38,5 metros de altura (9 andares) e com o peso de 90 toneladas. O moinho foi construído em 2008 de acordo com os moinhos na província Holanda do Sul. Trata-se de réplica fiel de um tradicional moinho holandês, e conta com pás de 25 metros de comprimento.




E que dizer destes trajes, dos tamancos e do bailarico cujo compasso se adivinha? Existem vários grupos folclóricos e segundo este portal: Os alunos começam os ensaios em Fevereiro e vão até Agosto, para se apresentarem na Expoflora (em Setembro). 




Cada novo grupo recebe o nome de uma flor e um traje feito sob medida, que é utilizado por dois anos. Os tamancos novos só são entregues na base de troca pelos velhos. O apogeu dos grupos de danças aconteceu por volta de 2008, quando reuniram cerca de 320 alunos, de 10 grupos diferentes, com um reportório de cerca de 190 danças.






Também em relação à gastronomia, a influência holandesa é um facto. Dizem-nos aqui: Quando se trata de comida típica holandesa torna-se necessário falar de batata. E continuo a ler: Pratos muito comuns feitos com batata são o stampot, puré de batata com verdura ou hutspot com cenoura. 




Para além da referência à batata que também se come frita and so on, fala-se também de queijos, hamburguers e outras iguarias do género. Faz-me falta ler alguma coisa sobre comidas feitas pelas avós, essas lindas criaturas que existem em todo o lado, felizmente, qualquer que seja a cultura.




Também encontrei este video, que contém o Roteiro Gastronômico, turístico, de Holambra. Através do referido video ficamos a saber da variedade de pratos e a conhecer os restaurantes que os confeccionam. Mas ainda assim, deve haver pequenos segredos gastronómicos que se guardam e permanecem no seio das famílias.




Este outro video leva-nos a passear pelas ruas, a apreciar as paisagens, às ofertas de lazer, a confirmar as rotas gastronómicas, à festa das flores, à sua História.


.

Convido-vos a visitar este blogue. Nele encontramos belas imagens de Holambra e das suas flores.


Já agora, registo este slogan turístico:

Visite Holambra e descubra uma nova paixão.








****


Amigos:

Um bom fim de semana.

Abraço

Olinda

****

Do Brasil, Canto da Boca envia-nos as suas impressões, na primeiro pessoa, e este precioso apontamento histórico:
Enquanto eu lia e vivia sua postagem, dialogava de forma silente contigo, quando dizes: "É assim que eu me perco...", eu replico, Olinda, cara amiga, é assim que tu te encontras, é assim que tu encontras belezas pelo mundo e partilhas conosco.

Quando eu era criança, e o caminhão carregado de flores, vindo de Holambra, chegava à minha cidade, era uma festa, todas as casas se enfeitavam.

Hoje vivo em uma cidade que sofreu com a "invasão" da Companhia das Índias Ocidentais, e a mando do conde alemão, Maurício de Nassau, foi incendiada, saqueada, vilipendiada, como foram todas as demais que viveram o processo de colonização. No entanto, o Recife, nossa vizinha, viveu um período de 24 anos, sob o domínio dessa coroa, e foi quando tivemos o primeiro plano de urbanização, investimentos de outras sortes, além da tolerância religiosa. Aqui acolá percebemos uma ou outra influência holandesa, mas não como Holambra.
Mas é essa diversidade que faz desse país, de 8. 514. 876 km² de extensão, ser essa surpresa e imensidão.

Mais uma vez saímos daqui enriquecidos com sua postagem, obrigada, deixo-te um beijão e um desejo de ótima semana!

;))

****

Obrigada, amiga.
Bjs
Olinda

22 comentários:

  1. Boa tarde, Olinda
    Gostei muito desta sua postagem. Talvez eu seja uma excepção:) já que não é muito vulgar os homens gostarem de flores (será apenas preconceito?) O certo é que eu gosto muito de flores (nota-se no topo do meu blog, não?). Talvez a minha profissão de arquitecto e paisagista me tenha influenciado...
    Desconhecia por completo a existência dessa terra "Holambra".
    Tem razão, a net leva-nos a caminhos nunca antes navegados... :)
    Obrigado por me trazer todo este conhecimento.

    Bom fim de semana
    Um beijo
    Miguel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Miguel

      Arquitecto e paisagista. Daquelas profissões que fazem milagres. Transformam um sítio ermo num oásis. Para isso é preciso uma grande sensibilidade, para lidar com árvores, plantas, flores, água, pedras e dispor isso tudo de forma funcional e artística.

      Parabéns! :)

      E muito obrigada por 'embarcar' nesta minha viagem. :)

      Abraço

      Olinda

      Eliminar
  2. Adorei este post. Gosto muito de encontrar estas curiosidades que nasceram da imigrição. Nasceram novas comunidades, vindas de países europeus, em continentes diferentes. É o caso de Holambra - que não conhecia - e também o de Pomerode no Brasil. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Carina

      Temos interesses muito parecidos. Também eu tenho uma grande curiosidade em relação ao mundo e às suas diferentes culturas. Gostaria de poder abarcá-lo num abraço.

      Beijinhos

      :)

      Eliminar
  3. Registo a sua viagem partilhada

    Ainda há flores
    nesta desordem de cores
    nos jardins

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente, caro Mar Arável.
      E Romãs. :)

      Abraço

      Olinda

      Eliminar
  4. Uma viagem de maravilha...
    De como o Brasil foi herdeiro de tanta coisa e é tão diverso.

    Beijinho e boa semana, minha amiga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E dada a sua imensidão, um mundo desconhecido para muitos de nós.

      Querida Ana, também te desejo uma semana luminosa :), apesar do mau tempo.

      Bjinhos

      Olinda

      Eliminar
  5. (•̃‿•̃) Bonjour chère Olinda !!!

    QUE C'EST BEAU !
    Merci de partager avec nous !!!

    Je dépose chez toi des bises amicales.
    Grosses bises d'Asie et bon dimanche !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara Nancy

      Muito obrigada pela tua presença e por estas palavras tão calorosas.

      Bjs

      :)

      Eliminar
  6. Desconhecia e agradeço esta viagem !

    Abraços, querida Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu não fazia ideia da existência de Holambra.
      Gostei de fazer esta viagem. E agradeço a sua companhia, querida São.

      Bjs

      Olinda

      Eliminar
  7. Olinda adorei o post. Divaguei por Holambra através do texto, das fotografias e dos videos. Absolutamente excelente, obrigado por este passeio.
    Beijinhos
    Maria





    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vivi como sabes muitos anos no Brasil; ouvi falar de Holambra, claro mas nunca fui lá. Ainda vou com frequência ao Brasil, pois deixei lá os meus pais e irmão e um dia visitarei esta linda cidade; não é longe de onde vivia, ou melhor, no Brasil tudo é longe, pois o país é imenso e é sempre preciso dispôr de um dia inteiro para se ir a determinados lugares considerados pelo brasileiros de " não longe ". Belo post. Olinda! Beijinhos, amiga e uma boa semana.
      Emília

      Eliminar
    2. Sabe, Maria? Quando estava a fazer este post lembrei-me dos seus,em que nos leva sempre para sítios maravilhosos e, na maior das vezes, verdadeiras surpresas por serem totalmente desconhecidos, pelo menos no que me diz respeito.

      Bjs

      Olinda

      Eliminar
    3. Querida Emília

      Tão diferente do nosso conceito de 'longe', não é? O mais engraçado é que por cá o nosso longe é mesmo longe. Está adaptado ao nosso rectangulozinho.
      Faço ideia das saudades que deves ter, em especial tendo lá parte da família. Ainda bem que lá vais com frequência.

      Se fores a Holambra cheira uma flor por mim. :)

      Beijinhos

      Olinda

      Eliminar
  8. Enquanto eu lia e vivia sua postagem, dialogava de forma silente contigo, quando dizes: "É assim que eu me perco...", eu replico, Olinda, cara amiga, é assim que tu te encontras, é assim que tu encontras belezas pelo mundo e partilhas conosco.

    Quando eu era criança, e o caminhão carregado de flores, vindo de Holambra, chegava à minha cidade, era uma festa, todas as casas se enfeitavam.

    Hoje vivo em uma cidade que sofreu com a "invasão" da Companhia das Índias Ocidentais, e a mando do conde alemão, Maurício de Nassau, foi incendiada, saqueada, vilipendiada, como foram todas as demais que viveram o processo de colonização. No entanto, o Recife, nossa vizinha, viveu um período de 24 anos, sob o domínio dessa coroa, e foi quando tivemos o primeiro plano de urbanização, investimentos de outras sortes, além da tolerância religiosa. Aqui acolá percebemos uma ou outra influência holandesa, mas não como Holambra.
    Mas é essa diversidade que faz desse país, de 8. 514. 876 km² de extensão, ser essa surpresa e imensidão.

    Mais uma vez saímos daqui enriquecidos com sua postagem, obrigada, deixo-te um beijão e um desejo de ótima semana!

    ;))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida amiga

      Perco-me nas minhas viagens pelo mundo e reencontro-me nas tuas palavras. :)

      Obrigada por prestigiares este post com passagens da História que é preciso não esquecer, por tudo o que isso representa. As Províncias Unidas querendo sacudir o jugo espanhol procuraram espaço para se impor, encontrando a ferramenta ideal nas companhias monopolistas, tanto a oriente como a ocidente.
      Sabemos das batalhas que se travaram nesse terreno, entre as várias forças em presença,nessa época, inclusivamente Portugal, as quais se sentiam no direito de impôr aos naturais as suas próprias regras, fundadas no lucro e na sede do poder, recorrendo à escravatura e a outros tipos de violência, com total desrespeito pela sua dignidade e cultura.

      Felizmente, tanto o Brasil como outros países que passaram pelo fenómeno da colonização encontraram o seu caminho.

      Minha querida, muito obrigada pela tua presença e por tudo o que me trazes.

      Beijinhos

      :)

      Olinda


      Eliminar
  9. •̃‿•̃)
    Bonjour Olinda :o)

    Je te remercie pour ta visite et tes gentils mots sur mon petit blog.
    GROS BISOUS d'Asie vers le Portugal !!!
    Bonne semaine !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é que te agradeço os teus posts, dando-nos a conhecer aspectos tão lindos da Tailândia.

      Boa semana também para ti.

      Bjs

      Olinda

      Eliminar
  10. Olá.
    Que você tenha uma semana com muita paz, muita luz e muita paciência. A vida, é assim, alegrias e contornos. Por isso, nada melhor que um pensamento positivo.
    Recebas, o meu sentimento de amizade, aliado à um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, José

      Muito obrigada pela sua visita e pelos seus votos. O mesmo lhe desejo, com muita saúde.

      Abraço

      Olinda

      Eliminar