segunda-feira, 28 de maio de 2012

Nós e os tractores

O que se passa com os tractores agrícolas? Volta e meia meia volta ouve-se falar de acidentes que vitimam pessoas que trabalham nos campos agrícolas. Pergunto-me se não deveria haver formação para a utilização destas máquinas, talvez, fiscalização para que estas desgraças não continuem a acontecer. Parece uma espécie de fatalidade a que as pessoas se submetem como acontece com as arribas




Dá a ideia que toda a gente pode conduzir um tractor agrícola quando afinal não é bem assim. É necessário haver habilitação para tal. Além disso, há os cuidados de segurança a ter com a máquina, travando-a em condições, impedindo que depois de o condutor sair do lugar ela comece a andar provocando acidentes.

Li numa notícia que:

Em dez anos morreram em Portugal 380 pessoas vítimas de acidentes com tratores. Em 2010 Portugal era mesmo o segundo país da Europa com mais acidentes deste tipo.

E este ano já li várias notícias de acidentes com tractores, nomeadamente, em Torres NovasVouzelaViseuPenafielVila Real, Seia...

     
             Tenhamos em atenção estes dados e apostemos na prevenção...


Imagem:Internet

19 comentários:

  1. A prevenção é fundamental em tudo na vida....
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo Chana, para depois não termos que gritar 'aqui d'el rei', não é?

      Abraço

      Olinda

      Eliminar
  2. Já esqueci, todas as palavras que queria ouvir
    Todo os sentires por sentir
    Já não sou protagonista de uma comédia de enganos
    Sou apenas demiurgo de uma perversa cena de uma chegada sem partir

    Sou uvas amargas do mês de Abril
    Vinho de travo verde ao beber
    Semente atirada ao meio das pedras
    Olhos na bruma na inquietação do ver

    Uma imensa e incontida força neste peito
    Na alma uma cicatriz, qual estigma
    Serei apenas um barco de papel à deriva!?
    Ou como já alguém disse, um…Enigma…

    Doce beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Profeta

      Muito sensibilizada com a sua visita e com esta dádiva ao Xaile de Seda.

      :)

      Muito obrigada.

      Abraço

      Olinda

      Eliminar
  3. Sempre atenta, a minha doce Olinda!
    O marido de uma amiga de infância, morreu esmagado por um tractor. Deixou uma viúva jovem e 3 filhos pequeninos. Foi há tantos anos e agora, este seu aviso tão oportuno, lembrou-me essa amiga, que não vejo há muito tempo.
    Espero, que muita gente leia este seu AVISO.
    Até 2ª, amiga.
    Beijinhos, amiga
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Maria

      É um assunto que me preocupa há já algum tempo. As notícias destes acidentes não abrem tele-jornais, não vêm nas primeiras páginas, antes pelo contrário são relegadas para a última página ou no meio, um quadradinho que passa quase despercebido. Parece que já faz parte do 'panorama'...Uma destas notícias diz respeito a uma rapariga que foi com o namorado arrumar o tractor do pai, saltou para o lugar do condutor e...não foi preciso muito, ficou ali.

      Até 2ª, desejo-lhe uns dias bem passados.

      Beijinhos.

      Olinda

      Eliminar
  4. Afloras um tema, sobre o qual poderei lançar algum esclarecimento.
    É verdade que ocorrem demasiados acidentes com estas máquinas agrículas, alguns dos quais, com desfechos dramáticos.
    E digo que ocorrem demasiados acidentes, numa prespectiva de nº de veículos, ou máquinas, versus acidentes.
    Eu tenho 2 tractores, que uso nos trabalhos agrículas. Com um deles também já me voltei, consegui saltar para fora, durante o movimento do tombo.
    Concordo inteiramente contigo, quando referes a necessidade de formação e de prevenção. A maioria dos agricultores, compra o tractor novo ou usado e começa imediatamente a usa-lo, quase sempre numa optica de improvisação.
    Contudo, não é esse improviso a causa principal dos acidentes, mas sim a própria característica da máquina.
    Ou seja, o tractor, porque é uma máquina projectada para ultrapassar os obstáculos e acidentes naturais do terreno, possui rodas altas, o que afasta do solo o seu ponto central de equilíbrio. Depois, como é também uma máquina projectada para rebocar grandes pesos, concentra muito à frente todo o peso do motor. Ora bem, dado ainda que é uma máquina articulada e sem suspensão, sucede com muita facilidade, numa situação de forte tracção, por influÊncia de uma simples pedra, ou um monte de terra, alterar repentinamente o seu ponto de equilíbrio e acabar por tombar. Como o condutor, ou operador se encontra num espaço reduzido e com várias alavancas entre as pernas (hmmmm? não, alavancas mesmo... mecânicas ;))) desculpa a brincadeira) acontece com frequência ir juntamente com o tractor, quando este se volta. Como se trata de uma máquina com bastante peso, os acidentes resultam quase sempre trágicos. A maioria dos novos tractores vem equipado com um aro metálico que tem a finalidade de proteger o condutor, no caso de se voltar. No entanto a eficácia desta protecção é reduzida, dado que o condutor não está preso ao banco por um cinto de segurança, como é o caso nas outras viaturas. No entanto, aquilo que referes, a formação e a prevenção, são fundamentais para quem faz uso deste e de outro tipo de máquinas.
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bartolomeu

      Dizes bem, apenas afloro pois pelo teu comentário vejo que é assunto com implicações ainda mais preocupantes. Não tem a ver somente com a formação mas também com a própria estrutura da máquina, com a sua especificação, o seu ponto de equilíbrio, com o acidentado do terreno, com a aderência roda-solo, também com a própria carga... E tratando-se de um condutor sem experiência, os resultados serão mais trágicos ainda.

      Confesso que, para mim, era um autêntico mistério tantos acidentes, deduzindo eu que se tratasse apenas da falta da habilitação ou desatenção na utilização e manejo da máquina. Se nem o aro metálico lhes vale por causa da falta de cinto de segurança impõem-se então estas questões: Será que com este acessório se reduziriam tais acidentes? Ou serão necessários outros ajustamentos?

      Meu amigo, muito obrigada por estes esclarecimentos, pelo teu contributo que veio enriquecer este post.

      Abraço

      Olinda

      Eliminar
  5. É bem importante teu texto Olinda.
    Realmente algo tão sério como dirigir uma maquina destas,merecia muito treinamento.

    Beijão amiga

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, Fernanda, a formação, a experiência, factores importantes na manipulação de máquinas cujo 'comportamento' poderão depender da sua própria especificação.

      Bj

      Olinda

      Eliminar
  6. Querida Amiga, hoje eu quero muito lhe agradecer a sua linda e carinhosa presença no meu cantinho! Meu carinho sempre.

    Tem um selinho lá no meu cantinho, feito com muito carinho! Se gostar leve com você!

    Abraço amigo!

    Maria Alice

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha amiga

      Muito obrigada pelas suas palavras e pela sua amizade.

      Irei buscar o selinho, com muito prazer. :)

      Bjs

      Olinda

      Eliminar
  7. Amiga Olinda, as vezes é preciso dar um alerta no sentido de preservação da vida humana.
    Já ouvi nos noticiários muitos acidentes relacionados com trens, na India.
    Volta e meia, acontece por lá esse tipo de fatalidade.
    Aqui, os acidentes do trabalho são uma constante.
    Certa feita vi um amigo decepar os dedos numa prensa por não se ater aos cuidados mais básicos.
    E com tudo isso, mais tarde, outro enfiando a cabeça debaixo de uma ferramenta para injetar plástico, cujo peso era de uns 200 kilos!
    Ou seja, as pessoas mesmo presenciando as desgraças, não se corrigem. Por isso postes como estes são necessários.
    Um abraço, e um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Antônio

      Infelizmente a falta de atenção, o descuido, estão directamente ligados a acidentes no trabalho. É ainda mais reprovável sabendo-se que depende de nós, especialmente em profissões que implicam logo à partida perigos acrescidos.

      Penso que o uso de equipamentos de segurança no trabalho é obrigatório mas, muitas vezes, as pessoas facilitam achando que os percalços só acontecem aos outros. Para isso também é necessária formação e a consciencialização de que é para o nosso próprio benefício.

      Meu amigo, muito obrigada pelas suas palavras.

      Abraço

      Olinda

      Eliminar
  8. Formação pois claro

    até nas urnas eleitorais

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem visto, Mar Arável!

      Abraço

      Olinda

      Eliminar
  9. Minha querida

    Infelizmente há acidentes demais com tractores, eu acho que realmente é falta de formação e por vezes quem anda com eles nem carta tem.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha amiga

      E isso tem levado a consequências fatais.

      Beijos

      Olinda

      Eliminar
  10. Sabes, Olinda que também ficava " encucada" com tantos acidentes com estas máquinas. Conheço alguns fatais que ocorrera, na aldeia onde nasci e muitas vezes me perguntava como era possível tal coisa. Agora, com a explicação desse nosso amigo, já entendo melhor. Beijinhos e obrigada pela publicação tão oportuna. Fica bem!
    Emília

    ResponderEliminar