terça-feira, 20 de setembro de 2011

Livro da Vida


Poema de Antônio Lídio Gomes


Livro da vida, em meu Coração
Escrito com tinta Vermelha
Contém meus segredos
Mais ocultos e verdadeiros

Mas quem não tem um Livro
Escrito pelo Tempo da passagem da vida
Onde as horas são versos
Os dias são páginas
E os anos são capítulos
Onde cada aborrecimento, cada sofrimento
Nas páginas do Livro,
Borradas com lágrimas
Coloridas com sangue
Onde tudo que foi mal escrito,
Todo mal entendido
Pudesse apagar

Bem que gostaria
Mas não posso, não devo.

O que posso fazer é virar a página
Do Livro da Vida
E na seguinte estar
Escrevendo uma nova história
Pra novela continuar
E um dia terminar o enredo
Dessa história terrena, da divina comédia,
Da tragicomédia, de minha odisséia
Nesse mundo encerrar
Pra então fechar o Livro
E na Estante Divina
Esperar por um Grande Leitor
Observador e Justo



Este lindo poema foi inspirado no poema Saber ler na Vida, de Matilde Rosa Araújo, aqui publicado em  05/09/2011.


http://vozesdeminhalma.blogspot.com/

21 comentários:

  1. Podemos, sim, ir virando páginas até chagarmos à estante Divina. Belíssimo poema.
    Um beijo de imenso carinho pelo teu apoio, minha boa amiga.

    ResponderEliminar
  2. Às vezes, virar a página....é o passo certo....
    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde, Olinda!
    Gostei muito da sua postagem!
    Um belo poema reflexivo e verdadeiro.
    O tempo se encarrega de dia após dia ir escrevendo uma página nova no "livro da vida".
    Beijo,
    Mara

    ResponderEliminar
  4. Belo poema...Espectacular....
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  5. Belo poema. E nunca tinha ouvido falar deste poeta. Obrigada pela partilha.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Lindo!
    Somos livros com certeza...não existe para mim nada mais inteessane do que a biografia humana com seus desafios, vitórias e dificuldades....
    Beijos querida e boa tarde!

    ResponderEliminar
  7. Minha querida

    O António é um poeta maravilhoso...escreve com a pena da alma, eu adoro a poesia dele.

    Um beijinho com carinho
    Rosa

    ResponderEliminar
  8. Adorei, a vida escrita por nós mesmos...belo! Bjin

    ResponderEliminar
  9. Amiga obrigada pelo seu registo e comentário
    num dos meus blogues. Como gosta de poesia
    sugiro uma visita a um outro blogue meu que
    tem muita poesia inserida que é:
    http://sinfoniaesol.wordpress.com
    Um grande beijinho e voltarei.

    ResponderEliminar
  10. E já é tão bom podermos virar a página!!! Mas para a frente, porque para trás não adianta, quando muito consultar os bons trechos ;)
    Beijinhos,
    Madalena

    ResponderEliminar
  11. Bonito poema de Antonio Lidio, gracias por compartir.
    saludos.

    ResponderEliminar
  12. Belo poema, sim. Ah o Livro da Vida...

    bjs

    ResponderEliminar
  13. apenas poesia
    apenas a preocupação
    de um mundo melhor
    apenas Um dia mais.




    UM DIA MAIS


    Mais um dia
    Um dia diferente
    Mais igual
    Queria fazer tanto...
    E não faço nada
    Queria partilhar
    E nada partilho
    E o mundo...
    Assusta-me...
    Sinto que ao meu redor
    Tanto se sofre...
    E gostava...
    De ter uma varinha
    Varinha de condão...
    E ver toda a gente a sorrir...
    Mas quero...
    Penso...
    E sonho...
    E vem a realidade...
    Acordo e...
    Foi apenas mais um dia...
    E o amanhã continua igual!...

    LILI LARANJO

    ResponderEliminar
  14. Minha Querida Olinda:
    O livro da nossa vida encerra em si um tesouro de emoções, encontros, desencontros e reencontros. E, como disse Miguel Torga, "Há recantos do ser e da vida que precisam de silêncio". Por isso, às vezes, não se pode dar tudo a ler. :)
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  15. Todos temos um livro e não devemos colocá-lo a um canto qualquer esperando ter tempo ou disposição para o ler; devemos antes lê-lo com calma, página a página, saboreando e interpretando cada palavra; às vezes dá vontade de voltar atrás e reler aquela página de que gostamos muito onde cada palavra soa a alento à nossa alma; devemos fazê-lo sempre que o desejarmos; outras porém nem devem ser procuradas...não interessam...já as lemos...não valem a pena ser reledidas. Agora é pegar no livro com carinho e lê-lo sem passar em branco uma página sequer. Gostei muito deste poema, Olinda. Obrigada pela partilha. Um beijinho.
    Emília

    ResponderEliminar
  16. virar a pagina as vezes é por demais pesado!

    ResponderEliminar
  17. Querida Olinda
    É bem verdade que não podemos apagar nada na vida passada. Tudo o que acontece fica gravado como que a fogo, sem hipótese de ser rasurado.
    Mas podemos, sim (e muitas vezes o fazemos) virar a página e escrever um novo texto.
    Gostei muito do poema. Não conhecia o poeta.

    Continuação de boa semana. Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Boa tarde Olinda!
    Meu livro da vida é reescrito todos os dias....com novas palavras, novos cheiros e novos sabores...
    Beijos!

    ResponderEliminar
  19. Meus amigos

    Muito obrigada pelos vossos comentários.

    Reflexão preciosa, em que cada um contribui com a sua visão e experiência de vida, para nos enriquecermos mutuamente.

    Da minha parte, diria como a Carla Fernanda:

    'Meu livro da vida é reescrito todos os dias....com novas palavras, novos cheiros e novos sabores...'

    :)

    Bjos

    Olinda

    ResponderEliminar
  20. Amiga Olinda.
    Venho agradecer essa homenagem ao poema Livro da Vida, e nele, minha pessoa.
    Sou grato pela gentileza, carinho e atenção para com este, que tem em ti uma pessoa amiga e nobre acima de tudo.
    Um fraterno abraço, beijos.

    ResponderEliminar
  21. É certo que não podemos mudar o passado, mas sempre podemos ter novos começos, e possibilitar novos escritos.

    Poema reflexivo e com uma nuança de tristeza...

    Beijos!

    ResponderEliminar